Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

O desprezo dos media pelo desporto no feminino

Antes de tudo será pertinente a leitura de um qualquer jornal desportivo. Nota algo em falta? Talvez algum desporto. Não, tenho a certeza que a maior parte estará por aí. Talvez falte falar sobre a grande estrela do desporto actualidade. Também não, lá está ele sempre na primeira página! Então afinal o que é que falta? É simples, o que falta única e simplesmente é a presença feminina nesse mesmo jornal! É uma calamidade a importância que é dada ao desporto feminino pelos meios de comunicação.

Todos os dias vemos um jornal repleto de futebol. Irónico é o facto que apesar desta mediatização e quase obsessão da sociedade portuguesa neste desporto, os grandes resultados são muito poucos e foram conseguidos há relativamente pouco tempo. A organização é sempre a mesma 50 páginas para futebol e as dez últimas para as ‘outras’. É nessas dez páginas, que por vezes lá aparece uma notícia de uma desportista. O apoio e destaque ao sexo feminino são uma raridade. Quando é dado alguma importância são espaços muito reduzidos.

Aquilo que é mencionado terá que ser um feito a nível mundial porque se não essa notícia é simplesmente esquecida e/ou desprezada, enquanto somos presenteados com os acontecimentos mais desinteressantes. Falta organização. É um ultraje para o desporto no mundo feminino ser desprezado desta maneira pelos meios de comunicação social, até porque tem havido muitos bons resultados. Nomes como Naide Gomes, Rosa Mota, Vanessa Fernandes, Fernanda Ribeiro fazem parte das mais brilhantes páginas no desporto português. A atenção é mínima para grandes feitos. Em 60 páginas diárias, o destaque é ridículo. Muito pouco, muito pouco mesmo…

Em Portugal, existe um desconhecimento mais que evidente no que toca a mulher no desporto e porquê? Pelos vistos Portugal só tem atletas no masculino! Ou será que só os homens sabem fazer desporto? Ora é só ver a nossa história recente para observar que há várias medalhistas nos Jogos Olímpicos… Isto é só um exemplo, e julgo que já não é pouco. Pergunto-me o que é que os homens apresentam de melhor para terem acompanhamento mediático e as mulheres não. Porque tão pouco destaque se os resultados são bons? Machismo puro e duro ou apenas uma obsessão desmedida pelo futebol. Há uma repulsa e uma vergonha em expressar os grandes feitos da mulher de uma sociedade que se honra em ser liberal, até quando Portugal? Até quando? 

 

 

 

"Os Grandes Portugueses" (8) - Camões

Nome: Luís Vaz de CAMÕES

Data e Local de nascimento: Lisboa, 1525

Data e Local da sua morte: Lisboa, 10 de Junho de 1580

Profissão que se notabilizou: Escritor

 

Feitos importantes:

  • Entre 1531 a 1541, Luís Vaz de Camões terá ido estudar para Coimbra, para junto do seu tio, chanceler da Universidade e prior do Mosteiro da Santa Cruz. É na escola deste mosteiro, que terá feito os seus estudos. Aluno indisciplinado, mas ávido pelo conhecimento, interessa-se pela história, cosmografia e literatura.
  • Com cerca de vinte anos ter-se-ia transferido para Lisboa, antes de concluir os estudos. Por ser proveniente de uma família fidalga, pôde ser admitido e estabelecer contactos intelectuais frutíferos na corte de Dom João III, iniciando-se na poesia. Levava uma vida boémia, frequentando tavernas e envolvendo-se em arruaças e relações amorosas tumultuosas.
  • Ingressa no Exército da Coroa de Portugal e em 1547 embarca como soldado para a África, participa da guerra contra os Celtas, onde em combate perde o olho direito. Em 1552, de volta à capital frequenta tanto os serões da nobreza como as noitadas populares. Numa briga acaba por ferir um funcionário real e é preso.Entre 1553 a 1558, saí da prisão perdoado pelo agredido e pelo rei, e parte em viagem pela África Ocidental, Goa, Macau e China.
  • É em 1572 que Camões publica o seu grande trabalho – Os Lusíadas, uma obra que celebra os feitos marítimos e guerreiros de Portugal. A publicação deste livro é feita com o auxílio de D. Sebastião, o rei acabaria também por lhe conceder uma pensão anual de quinze mil reís.
  • Apesar da pensão, os últimos anos foram amargurados pela doença e pela miséria. Aos 56 anos, morre em 10 de Junho de 1580, sendo enterrado, numa campa rasa na Igreja de Santa Ana. Mais tarde, em 1880, a sua ossada foi depositada numa tumba no Mosteiro dos Jerónimos, homenageando a sua vida e obra.

Camões é o maior escritor português? Qual é a frase mais marcante deste autor? Consideram que o seu trabalho devia ser alvo de mais atenção por parte da sociedade?

 

 

Segue-me também no:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

Pág. 2/2