Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

Uma homenagem à rádio

Amanhã, comemora-se, pela primeira vez, o Dia Mundial da Rádio, instituído pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). Uma das maiores evoluções do século XIX foi o aparecimento da rádio. Tornou possível uma maior divulgação, além de uma capacidade de chegar mais rápido a um maior número de pessoas.

A data tem como objectivo consciencializar o público e os meios de comunicação acerca da importância da rádio, alertar para a criação e acesso à informação, bem como melhorar a cooperação internacional entre os organismos de rádio-difusão.

Este aparelho receptor de radiofonia foi inventado pelo norte-americano D. Hughes, em 1879, que construiu um emissor-receptor rudimentar. Este acabaria por ser o primeiro antepassado da rádio que conhecemos. Após muita evolução foi mesmo nos Estados Unidos da América que apareceu a primeira emissora de rádio decorria o ano de 1920. Tinha nascido o movimento da voz.  

Segundo a UNESCO, é necessário considerar a rádio como um meio de comunicação de baixo custo, apropriado para chegar às comunidades longínquas e às pessoas vulneráveis. A rádio é um meio de comunicação de massa, mais prevalente no mundo, com capacidade de atingir 95 porcento da população do planeta, assegura o organismo mundial.

Em Portugal, a primeira emissora da rádio surgiu em 1925, onde Abílio Santos Jr. foi o grande impulsionador. Eram rádios amadoras, também conhecidas como Rádios Minhocas, ou seja, emissoras com poucos recursos que muitas vezes faziam rádio como passatempo. Nessa altura, a música, as palestras e programas infantis eram os três sectores que a rádio aposta. O desejo passava por chegar ao maior número de pessoas possíveis, desde do público mais idoso ao mais novo, desde do público mais intelectual até às pessoas com menos formação. Tornou-se um meio de massas por excelência.  

Actualmente, a rádio já não tem a mesma força, para isso muito contribuiu a expansão da televisão e, mais recentemente, da Internet. Ainda assim continua no quotidiano da maioria das pessoas, a verdade é que a rádio ainda reflecte uma enorme importância para a nossa sociedade. Dessa forma, a criação desta data é legítima e pode ajudar este meio de comunicação a crescer.

Pessoalmente, julgo que a rádio é bastante útil pois tanto serve para ouvir música como para saber as noticias do dia. Existe uma dupla função de lazer e trabalho bastante importante para uma boa dinâmica. Este é um meio que serve para relaxar e nos abstrairmos do mundo lá fora, tornando-se num tónico perfeito para recarregar baterias.   

 

Ao som de... (10) [Pearl Jam - Just Breathe]

Os Pearl Jam arrasam ma décima edição do “Ao som de…”. Uma banda de rock oriunda da cidade de Seattle é, actualmente, composta por: Eddie Vedder (Vocal e Guitarra); Jeff Ament (Baixo); Matt Cameron (Bateria); Mike McCready (Guitarra Solo); Stone Gossard (Guitarra Base).

Nasceram em 1990 das cinzas dos Mother Love Bone e, quando editaram um ano mais tarde o seu álbum de estreia (‘Ten’), foram eleitos como um dos nomes de destaque do movimento grunge que consagrou bandas como os Nirvana. Actualmente, são uma das poucas bandas que ainda permanecem em actividade deste movimento.  

A energia dramática e visceral do hard rock com o tom melancólico e envolvente do folk rock independente promoveram uma ascensão top do rock internacional. Este sucesso não fez com que a banda cede-se nos seus ideais, crenças e atitudes, que lhes valeram muita polémica. O certo é que os Pearl Jam tornaram-se um das mais idolatradas e respeitadas bandas do rock, vendendo 30 milhões de disco nos Estados Unidos da América e 60 milhões em todo o mundo. Deixo-vos então como uma das minhas preferidas desta banda: Just Breathe!

 

Pág. 2/2