Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

"Os Grandes Portugueses" (25) - Egas Moniz

Nome: António Caetano de Abreu Freire EGAS MONIZ

Data e Local de Nascimento: Avanca, 29 de Novembro de 1874

Data e Local da sua morte: Lisboa, 13 de Dezembro de 1955

Profissão que se notabilizou: Médico e Investigador

 

Feitos importantes:

  • Nascido no seio de uma família aristocrata rural, a dos Viscondes de Baçar, recebeu uma educação privilegiada. Formou-se em Medicina na Universidade de Coimbra, instituição onde lecciona anatomia e fisiologia. Em 1911, é transferido para a recém-criada Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa onde ocupa o lugar de professor catedrático no departamento de neurologia.
  • Contribuiu decisivamente para o desenvolvimento da medicina ao conseguir dar visibilidade às artérias do cérebro. As suas descobertas clínicas foram reconhecidas pelos grandes neurologistas da época, que admiravam a acuidade das suas análises e observações. A Angiografia Cerebral, que descobriu após longas experiências com raios X, tornou possível localizar neoplasias, aneurismas, hemorragias e outras má-formações no cérebro humano e abriu novos caminhos para a cirurgia cerebral.
  • Em 1950 é fundado, no Hospital Júlio de Matos, o Centro de Estudos Egas Moniz, do qual é presidente. Esse Centro de Estudos é, em 1957, transferido para o serviço de Neurologia do Hospital de Santa Maria onde ainda existe. Nele é possível ver o Museu Egas Moniz, onde se encontra uma restituição do seu gabinete de trabalho com as peças originais e vários manuscritos.
  • Teve também um papel activo na vida política, sendo um dos fundadores do Partido Republicano Centrista. Exerceu as funções de Embaixador de Portugal em Madrid (1917) e Ministro dos Negócios Estrangeiros (1918) no breve regime de Sidónio Pais.
  • Foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem de Benemerência (1928) e com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada (1945). Egas Moniz foi proposto cinco vezes (1928, 1933, 1937, 1944 e 1949) ao Prémio Nobel de Medicina ou Fisiologia e só na última vez foi galardoado com a distinção partilhando-a com o suíço Walter Rudolf Hess. A técnica desenvolvida por Egas Moniz, a operação ao cérebro denominada lobotomia, após forte controvérsia deixou de ser praticada na década de 1960.

Egas Moniz foi o maior investigador português? É justo ser dele o primeiro Prémio Nobel português?

Imagem espontânea (25) – Zoo de Lisboa

Depois de ter falado do Oceanário, parece-me justo falar de outro local na capital onde os animais têm um papel fundamental. Falo, naturalmente, do Zoo de Lisboa. Inaugurado em 1884, o Jardim Zoológico de Lisboa foi o primeiro parque com fauna e flora da Península Ibérica. As suas primeiras instalações foram no Parque de São Sebastião da Pedreira, vindo a serem transferidas em 1894 para os terrenos onde hoje se situa a Fundação Calouste Gulbenkian. Só mais tarde, em 1905, o Jardim Zoológico foi transferido para a sua actual localização -  Quinta das Laranjeiras, em Sete Rios.

A missão deste local passa por desenvolver e promover um parque, tanto zoológico como botânico, como um centro de conservação, reprodução e reintrodução no habitat natural de espécies em vias de extinção, através da investigação científica e de programas de enriquecimento ambiental. Desde Março de 1913, o Jardim Zoológico foi declarado Instituição de Utilidade Pública. Anos mais tarde, em 1952, a Câmara Municipal de Lisboa galardoou este espaço com a Medalha de Ouro da Cidade. As inúmeras remessas de animais contribuíram para que, ao longo dos anos, o Zoo tivesse uma das colecções de animais mais vastas e diversificadas do mundo. Actualmente, é possível encontrar cerca de 2000 animais de 330 espécies: mamíferos, aves, répteis e anfíbios.

Já há algum tempo que não ia ao Zoo e aproveitei estes dias mais frios para ir passear por lá com a Primrose Eleanora Dare. É um espaço que nunca desilude e que permite sempre momentos divertidos, é impossível não ficar envolvido com aquele lugar. A foto que vos trago é de um tigre que estava a aproveitar a tarde para descansar. Confesso que é um dos animais que mais me impressiona, não só pela sua elegância, mas também pela velocidade com que age. De facto, é um animal impressionante de ter por perto. Em suma, esta fotografia é uma pequena memória de mais um dia memorável.

O que mais gostam de ver no Zoo? Qual é o vosso animal preferido?

Ronaldo soube ser rei absoluto na fria Suécia

Portugal conseguiu a qualificação para o Campeonato Mundo no Brasil com Cristiano Ronaldo a protagonizar o melhor jogo pela selecção das quinas! O capitão da selecção rubricou um hat-trick na vitória 3-2 frente a Suécia, no Friends Arena (Estocolmo). Com estes três tentos marcados por Ronaldo, o jogador do Real Madrid iguala ainda Pedro Pauleta na lista dos melhores marcadores na selecção nacional (47 golos). Na fria Suécia (0 graus centigrados), o melhor jogador do mundo da actualidade escreve mais uma página dourada na história do desporto nacional.

Depois do golo na primeira mão no estádio da Luz, Ronaldo voltou a aparecer quando a equipa mais precisava dele ao marcar nos momentos decisivos. Em três lances geniais, o avançado luso usou a sua velocidade e dizimou o desamparado Isaksson . Foi uma segunda parte de sonho para o português, um verdadeiro hino ao futebol, uma demonstração cabal de que ele é o melhor jogador do mundo da actualidade. Foram três golos marcados, mas podiam ter sido muitos mais. De facto, o capitão das quinas assumiu o papel de conquistador e carregou toda uma equipa até ao Brasil. Um prémio merecido para este extraordinário jogador!

De nada serviram os dois golos de Zlatan Ibrahimovic também na segunda parte. O talentoso avançado quis assumir papel principal no encontrou, mas acabou ofuscado por um super Ronaldo. A Suécia apareceu com uma vocação mais ofensiva, ao contrário do que aconteceu em terras lusas. De facto, o primeiro tempo foi de muita luta no meio campo, muita garra de parte a parte, mas com alguns momentos de mau futebol. Os portugueses desperdiçaram algumas oportunidades para marcar num jogo equilibrado, onde a Suécia esteve pouco influente. Portugal optou sempre por privilegiar o contra-ataque e apanhou os suecos em situações de desequilíbrio defensivo.

Na segunda parte o jogo alterou-se por completo com várias mudanças de marcador, tornando-se um jogo fantástico e bastante emotivo. Prova disso foram os quatro golos marcados em dez minutos, o que demonstra um segundo período soberbo. Apesar de uma primeira parte cinzenta da equipa do norte da Europa, no segundo período transfigurou-se e criou algumas oportunidades flagrantes de perigo conseguido mesmo estar em vantagem por 2-1. Mas a selecção das quinas, com Ronaldo em destaque, conseguiu novamente superiorizar-se. Não há dúvidas que este vai ser um dos jogos mais marcantes da história do futebol nacional.

Hugo Almeida, que foi a surpresa no onze português de Paulo Bento, fez um jogo razoável. Usou o seu físico para combater os defesas suecos, trabalhou muito, acabou por ser o primeiro a defender. A passe de Cristiano Ronaldo, o ponta-de-lança de 29 anos até quase que marcou num cabeceamento ao lado na pequena área. Acabaria por redimir-se com o passe para o segundo golo do capitão de equipa. Destaque ainda para a exibição fantástica de João Moutinho que foi o pêndulo entre o ataque e a defesa, rubricando duas assistências para golo. Um grande jogo deste pequeno jogador.

Portugal consegue, assim, a sua quarta qualificação seguida para os Mundiais depois de 2002 (Japão e Coreia do Sul), 2006 (Alemanha) e 2010 (África do Sul). Um feito incrível que vem demonstrar a qualidade da selecção das quinas! Depois de em 1500 Pedro Alvares Cabral ter descoberto Brasil, em 2014 Portugal vai novamente tentar conquistar as terras de Vera Cruz!

Como classificam este encontro? É obrigatório dar a Bola de Ouro a CR7? Com um Ronaldo a este nível, até onde é possível ir no Brasil?

Cabeçada de ouro derruba muralha sueca

O capitão Cristiano Ronaldo marcou o golo que colocou Portugal mais próximo do Brasil. A cabeçada do craque português valeu uma preciosa vantagem frente à Suécia, em jogo a contar para a primeira mão do play-off de qualificação do Mundial que se realiza no próximo ano.

O minuto 83 foi mágico para Portugal, momento do único golo da partida que colocou um estádio da Luz esgotado num turbilhão de emoções. Miguel Veloso, pela esquerda, faz um cruzamento milimétrico que Ronaldo aproveitou. O avançado português antecipa-se a Olsson e de cabeça bateu o guardião Isaksson. Um golo merecido para a estrela lusa que se exibiu em grande plano na segunda parte, mostrando o seu grande momento de forma. Uma cabeçada vitoriosa que coloca a Bola de Ouro mais próxima…

Paulo Bento apostou nos jogadores habituais, o mesmo conjunto que chegou às meias-finais do Europeu de 2012. A equipa nacional desde logo mostrou entrosamento e teve as primeiras iniciativas de jogo. Aos quatro minutos, João Moutinho esteve muito perto do golo quando ultrapassou o guardião Isaksson e atirou ao lado. Os nórdicos utilizaram uma postura mais defensiva, aproveitando os contra-ataques para colocar em perigo a baliza defendida por Rui Patrício. O guardião português esteve em destaque, aos vinte minutos, ao protagonizar uma excelente parada a um remate de Larsson. Mas essas iniciativas de ataque dos nórdicos foram uma raridade numa equipa que apenas quis conservar o nulo e perder tempo sempre que podia.

A primeira parte terminou com um grande equilíbrio entre os dois conjuntos, algo que não se viria a verificar no segundo período. Portugal entrou a mandar no jogo e criou várias oportunidades. Aos 50 minutos, os suecos viveram calafrios numa grande confusão na sua pequena área. Pepe, Postiga e Ronaldo tentaram, mas nenhum conseguiu visar a baliza de Isaksson. A verdade é que a Suécia manteve-se consistente, num bloco solidário, onde raramente houve buracos para os portugueses aproveitarem. Só que no primeiro deslize defensivo, estava lá o capitão da selecção nacional que não perdoou. O golo veio instabilizar a defensiva dos suecos. No lance seguinte, Ronaldo cabeceia à barra e quase conseguiu marcar novamente. Os últimos minutos foram mesmo de enorme sufoco para a equipa comandada pelo técnico Erik Hamrén.

A escassa vantagem é justa para a exibição portuguesa, que apenas peca por ser curta. O segundo tempo foi de claro domínio da equipa das quinas que soube gerir bem o jogo. Realce ainda para o jogo desinspirado de Ibrahimovic, que esteve muito longe do seu nível, uma situação que veio premiar a assertividade da defesa lusa com Bruno Alves em grande destaque. Este resultado faz com que o conjunto português fique um pouco mais perto do Mundial, mas ainda terá de jogar na terça-feira uma segunda mão difícil em Estocolmo.

O árbitro italiano Nicola Rizzoli protagonizou um bom trabalho, ajuizando os lances de forma correcta e usando um critério alargado. Apenas ficou por mostrar um cartão amarelo ao guardião sueco que desde o início teve como tarefa primordial perder tempo. Nota final para o ambiente incrível vivido no estádio da Luz. Com o recinto cheio, os portugueses marcaram presença no apoio à equipa nacional, puxando pelos jogadores desde do primeiro minuto nesta noite gelada em Lisboa. Ronaldo agradeceu a presença da única forma que ele sabe: a marcar!

A vantagem é suficiente para um jogo tranquilo em Estocolmo? Portugal mostrou que era mais forte que a Suécia? Ronaldo provou que é neste momento o melhor jogador do mundo?

Momento de brilhar

Hoje era dia de um grande concerto, o seu maior desafio da sua ainda curta carreira. Estava mais nervoso do que aquilo que queria admitir, a responsabilidade era imensa. Ia ter a sua maior enchente com um pavilhão repleto de fãs anciosos por se encatar com a sua perfomance intimista. Não podia falhar e desiludir toda aquela gente, aquele era o momento de bilhar ao mais alto nível. Não se podia arriscar a ser apenas uma estrela enfemura perdida no esquecimento popular. Queria fazer uma longa carreira recheada de sucesso e para isso precisava de conquistar aquele publico num espetaculo emocionante comovente e próximo.

Nada podia falhar! Viu-se ao espelho, o seu olhar motivado e focado destacava-se num rosto belo e bem cuidado. Foi chamado instantes depois, dirigiu-se rapidamente para o palco. No caminho recebia várias palavras de incentivo da sua equipa. Por mais confiante que estivesse não podia esperar a reacção que teve. Mal apareceu no palco foi brindado pelo um coro de aplausos ensurcedor. A sensação foi arrebatadora! O pavilhão cheio a aclamá-lo foi uma adrenalina incrivel, aquele era o incentivo que precisava para tornar aquela uma noite memoravel.

A música começou lentamente, mas só quando ouviu os primeiros acordes é que começou a cantar. A sua voz perfeita hipnotizava toda a gente num silêncio que o arrepiou. Tinha agarrado o público nas primeiras notas. Enquanto cantava, via pessoas na primeira fila a emocionarem-se com a letra da sua canção. Terminou-a brindado com uma entusiastiva ovação. Naquela altura, finalmente, entendeu que nunca esteve sozinho. Tinha aquele amor incondicional dos seus fãs e naquela noite entendeu que isso era o que mais importava para ele.

[Ficção]

Pág. 1/2