Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

Ao som de... (25) [Billy Joel – Uptown Girl]

O ‘Ao som de…’ continua a dar destaque aos grandes clássicos da música e é nesse âmbito que Billy Joel entra em acção. O artista de Bronx vendeu mais de 150 milhões de álbuns pelo mundo e arrecadou seis Grammy e outras 23 nomeações neste prémio. Além da sua magnífica voz, Joel toca piano de uma forma sublime.  

William Joseph Martin Joel, mais conhecido como  Billy Joel, nasceu a 9 de Maio de 1949, e foi figura dominante no panorama musical entre os anos 1970, 80, e 90. Desde cedo teve forte influência na música, através do pai que era um consagrado pianista clássico. Assim, em 1964, após ter visto um concerto dos Beatles, Joel decidiu dedicar-se a tempo integral à carreira musical. Depois de várias experiências falhadas em alguns grupos locais, opta por apostar numa carreira a solo que viria a dar frutos com o primeiro cd em 1971 (Cold Spring Harbor). Foi o princípio de uma extraordinária carreira no mundo da música!

O seu estilo reflecte diversos géneros como o jazz, os blues, o gospel, o pop music, e o rock & roll. Desde do lançamento do seu primeiro grande sucesso – Piano Man em 1973 – Joel tornou-se no sexto artista que mais vendeu nos Estados Unidos. A coletânea "Greatest Hits Volume I & Volume II" é mesmo o disco duplo mais vendido de todos os tempos. O seu trabalho valeu-lhe presença no Songwriters Hall of Fame (1992), no Rock and Roll Hall of Fame (1999) e no Long Island Music Hall of Fame (2006).

Era impossível escolher outra música além da inevitável Uptown Girl que faz parte do álbum Inocent Men (1983). Esta canção foi inspirada e escrita para a supermodelo norte-americana Christie Brinkley pouco depois de Joel a ter conhecido e terem começado a namorar. A modelo acabou mesmo por ser a protagonista no videoclip. A música tornou-se desde logo um enorme sucesso mundial e alcançou o lugar número três nos tops norte-americanos e o primeiro nos britânicos. Uptown Girl recebeu ainda uma nomeação para o prémio Grammy pela Melhor Performance Vocal Masculina em Best Pop.

 

Questões inevitáveis (24) – Dia Mundial da Poupança

Ontem celebrou-se o Dia Mundial da Poupança e o ‘Um Mar de Recordações’ não podia ficar alheado desta temática que tem sido de imensa importância a nível nacional. Com a grave crise que o país atravessa, poupar é um verbo que os portugueses sabem de cor. De facto, este é um talento que tem sido constantemente posto à prova. Saber reduzir gastos é importantíssimo e ter isso presente é meio caminho andado para chegar ao final do mês sem a corda na garganta.

O aumento da poupança das famílias é uma das características da crise que Portugal está a atravessar, apesar da quebra nos rendimentos, os portugueses a continuam a optar pelos depósitos para guardar o seu dinheiro. Com a dificuldade em aceder a crédito e o aumento dos incentivos à poupança, tem começado a tornar-se prática recorrente uma crescente precaução em relação ao futuro.

A ideia de criar este dia surgiu em Outubro de 1924, durante o primeiro Congresso Internacional de Economia, realizado na cidade italiana de Milão, no qual o seu objectivo passa por alertar os consumidores para a necessidade de disciplinar gastos e de amealhar alguma liquidez, de forma a evitar situações de sobreendividamento.

Consideram positivo a existência deste dia? Consideram que os portugueses estão a saber poupar mais? Quais são os vossos maiores truques para poupar algum dinheiro?

Pág. 2/2