Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Num passado de indefinições, um presente intermitente em que um futuro ambicioso se avizinha

Um Mar de Recordações

Em busca de um futuro risonho

Rita Parreira deu-lhe um longo e apaixonado beijo nos seus lábios. Se a princípio Carlos Fontes ainda tentou resistir, acabou por se envolver naquela espiral de sensualidade. Mesmo sentindo-se atraiçoado, não podia esconder o desejo que aquela mulher despertava nele. Quando ela se afastou, lançou-lhe um sorriso provocador. Não duvidava que aquela situação estava a ser terrivelmente divertida para ela.

O jovem advogado ainda estava confuso com os desenvolvimentos dos últimos minutos e tentava perceber o que é que aquilo tudo significava. Olhou-a severamente em silêncio, estavam os dois frente-a-frente. Estudou-a por um momento, sabia que aquela altura era decisiva. Deu um longo suspiro. “Porque raio não me contaste?”, questionou-a, lembrando-se dos segredos que tinha partilhado. Não conseguia esconder o constrangimento da situação.

“Simples. Estavas a ser avaliado!”, respondeu-lhe com sinceridade, mas deixando bem presente o tom jocoso das suas palavras. A advogada adorava controlar todas as situações, aquele domínio era benéfico quando entrava no tribunal. Apesar da sua tenra idade, já tinha ganho uma fama implacável com os sucessos conquistados. “Ainda não me disseste se afinal queres ou não entrar na empresa…”, apontou. Um ar arrogante surgiu naquele jovem de 25 anos, um aceno de cabeça selou um acordo que ia bem para além daquele trabalho…

Seis meses depois de entrar naquele escritório de advogados já se encontrava como membro efectivo da equipa. O jovem Carlos Fontes revelara-se um activo indispensável. Mostrara todo o seu potencial e começava a dar passos para uma carreira sólida na área. Não precisou de ajudas para subir e crescer, mesmo estando num relacionamento seguro com Rita Parreira. Estavam oficialmente juntos há cerca de três meses. Além de parceiros no trabalho, acabaram por tornar-se companheiros para a vida. 

Parte 1 || Parte 2 || Parte 3

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em:

     

Uma surpresa inacreditável

Os dias estavam a ser altamente intensos, durante aquele mês de Janeiro a cada final de semana eram eliminados alguns candidatos. Agora, restavam apenas dois elementos, o jovem de 25 anos continuava a disputar arduamente aquele lugar no estágio no escritório de advogados que tanto ambicionava. Estava a poucos minutos de descobrir se tinha sido o escolhido. Estava com um nervosismo enorme, aquele podia ser o seu grande momento.
Sentado perto dele, lá estava aquela atraente mulher que era o último obstáculo para o seu sonho. Ela sorriu para ele. Mesmo não querendo, afeiçoaram-se bastante nas últimas semanas. Com o desenrolar das semanas, tinham partilhado vários momentos. Não conseguia deixar de se sentir altamente atraído por ela. Secretamente, desejava que por um milagre a empresa optasse por escolher os dois… Achava isso altamente improvável mas não custava sonhar. A porta do gabinete abriu-se e os dois foram chamados.
Entraram numa sala ampla apetrechada de luxos , era imponente entrar naquele local. Engoliu em seco, era a primeira vez que estavam ali. Um dos advogados principais esperava-os com uma cara impaciente. “Sabem que não gosto de perder tempo. Rita Parreira dá um passo em frente”, rugiu. Assim que ouviu o nome, baixou a cabeça desiludido. Fechou os olhos para controlar as lágrimas. Só passado algum tempo, arranjou coragem para levantar a cabeça e reparou que a mulher ficou ao lado daquele emblemático advogado. A bela loira deu uma sonora gargalhada.
“Eu não vou entrar no estágio, encontras-te no meu gabinete. Felicito-te por teres chegado tão longe e pelo teu desempenho ao longo desta fase. Carlos Fontes, tu tens todas as competências que desejamos”, revelou, sem demoras. O jovem de 25 anos demorou a processar todas as novidades, mas não conseguiu resistir a sorrir por tudo aquilo se revelar em seu favor. Enquanto isso, o advogado abandonou o gabinete com um esgar sonoro. Ficaram os dois sozinhos naquele espaçoso gabinete, olharam-se como se estivessem a estudar um ao outro.
De certa forma, Carlos sentia que a sua confiança tinha sido quebrada. Não sabia como reagir aquela situação, sentia-se altamente desconfortável pelo envolvimento que tinha tido com uma superior hierárquica. Por seu lado, Rita Parreira parecia estar a adorar aquele momento de grande tensão. Avançou para ele e disse-lhe ao ouvido: “Finalmente posso fazer-te isto”.

Parte 1 || Parte 2 || Parte 3

Quero agradecer às inúmeras sugestões que deram para continuar a história, sinto que cada vez mais esta é uma ideia que está a ganhar muita adesão da vossa parte. Esta acabou por ser a votação mais renhida até agora, o que me levou a tentar equilibrar um pouco as coisas. Portanto aproveitei algumas das vossas ideias, nesta caso as da Ce Rose e da Hibiscus. Espero que tenham gostado do desenrolar da história!

Entretanto, é com muita felicidade que comunico que após 282 posts, o Um Mar de Recordações ultrapassou os 10 mil comentários. Mais um objectivo alcançado que só é possível com o vosso constante carinho. Um grande e sincero obrigado a todos vocês! Já sabes se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a que ele continue a crescer em:

     

Questões inevitáveis (28) – Benfica conquista o 33.º título nacional

O Benfica venceu 2-0 o Olhanense e sagrou-se campeão nacional em 2013/2014. Os golos de Lima (57’ e 60’) no Estádio da Luz possibilitaram a conquista do 33.º título nacional da equipa das águias. Com 28 jornadas disputadas, os encarnados conquistaram vinte e três vitórias, quatro empates e apenas uma derrota. A equipa liderada por Jorge Jesus é ainda o melhor ataque (56 golos marcados) e a melhor defesa (15 golos sofridos) do campeonato.
Quando na jornada inaugural o Benfica perdeu na Madeira (2-1) poucos acreditavam num final de época mágico. O início de época foi complicado com alguns resultados fracos e exibições menos conseguidas. Da primeira à décima quinta ronda, a equipa sofreu mais três empates com Sporting (1-1), Belenenses (1-1) e Arouca (2-2). Já no final da primeira volta, o Benfica liderava com dois pontos de vantagem sobre o Sporting e três sobre o Porto. A liga parecia bastante disputada, mas os encarnados aceleram para uma segunda volta surpreendente! A faltarem duas jornadas para o final, apenas cedeu um empate com o Gil Vicente (1-1). A coesão e solidariedade entre os jogadores foi evidente e talvez tenha sido esse o segredo do sucesso encarnado. A garra e o talento fez o resto…
Ao contrário das últimas épocas, a equipa liderada por Jesus não foi tão espectacular . Foi mais pragmática , preocupando-se mais com as vitórias do que com aquela intensidade atacante. Uma demonstração de maturidade de um conjunto que no ano passado perdeu tudo em poucos dias. Na verdade, o que importa é vencer o jogo e não jogar bonito. O Benfica sobe estar bem nos momentos decisivos e acabou por ser mais forte que os seus adversários.

O Benfica é um justo campeão? Qual foi o momento determinante para esta conquista? Quem foi o jogador mais importante nesta corrida pelo título?

Confesso que não escondi que um dos meus grandes objectivos para este ano era chegar às 100 mil visitas no blogue. Hoje de manhã acordei com a boa notícia que essa meta tinha sido cumprida. Ultrapassar este patamar simboliza que o Um Mar de Recordações continua a crescer de forma sustentada. Obrigado a todos os que ajudam a que este espaço continue a desenvolver-se! Para continuar a ajudar neste crescimento, liguem-se às plataformas do blogue em:
     

Ao som de… (27) – ABBA - Waterloo

Foi há quarenta anos no Festival Eurovisão da Canção em Brighton (Inglaterra) que apareceu um quarteto sueco que veio mudar para sempre a música mundial! ‘Waterloo’ encantou o júri e a plateia fazendo dos incontornáveis ABBA um fenómeno. Com (apenas) uma década de existência (1972-82), o grupo formado em Estocolmo produziu oito álbuns de originais e vendeu mais de 380 milhões de discos em todo o mundo.  A banda foi alvo de vários tributos com uma peça de teatro e um filme, os dois com o mesmo nome – Mamma Mia. Em 2010, o quarteto sueco foi introduzido no Rock and Roll Hall of Fame nos EUA.

O nome "ABBA" é um acrônimo formado pelas primeiras letras de cada membro fo grupo (Agnetha, Björn,Benny e Anni-Frid). Com uma popularida estratosférica, os  ABBA são considerados um das banda de maior sucesso do mundo tornando-se ícone no seu país de origem e uma referência da europop. Com uma grave crise de incompatibilidade no seio grupo (os dois casais divorciaram-se…) os ABBA acabaram de forma abrupta, de modo que em dezembro de 1982 ocorria a última aparição do quarteto. Depois de um tempo fora do interesse público, na década de 1990 foram lançados vários álbuns de compilação que possibilitaram o regresso da banda ao topo das vendas.

‘Waterloo’ tornou-se a primeira canção sueca a conquistar o Festival Eurovisão da Canção. A letra é de autoria de Stikkan Anderson, a música é de Benny Andersson e Björn Ulvaeus e foi orquestrada por Sven-Olof Walldoff. Rapidamente chegou ao topo das tabelas da Bélgica, Dinamarca, Finlândia, Alemanha, Irlanda, Holanda, Noruega, Suíça e África do Sul, além de alcançar a sexta posição da lista norte-americana. No aniversário dos 50 anos da Eurovisão, em 2005, foi escolhida como a melhor música na história da cultuada competição europeia.

Há por aí algum fã de ABBA? O quarteto sueco é a maior referência da música nordica no panorama mundial?

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em:

     

Questões inevitáveis (27) – Direitos das mulheres

Nos últimos dias, fiquei completamente chocado ao ler uma notícia que envolvia os direitos das mulheres. No Brasil, um estudo do IPEA (Instituto de Pesquisa Económica Aplicada) revelou que 26% dos brasileiros consideram que as “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”. Inicialmente, o número anunciado até era de 65% mas foi rectificado mais tarde pois o IPEA trocou as percentagens das respostas de duas perguntas.

Os resultados do inquérito Tolerância social à violência contra as mulheres realça ainda que 58,5% dos entrevistados concorda “com a ideia de que se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros [violações]”. Realizado entre Maio e Junho de 2013 em municípios das cinco grandes regiões brasileiras, a pesquisa teve uma amostra de 3810 pessoas de ambos os sexos, em que 66,5% eram mulheres, 28,5% jovens dos 16 aos 29 anos, 52,4% adultos dos 30 aos 59 anos e 19,1% de 60 ou mais anos.

Dilma Rousseff , presidente da República do Brasil, publicou um tweet em que referia os resultados do estudo: “Tolerância zero à violência contra a mulher”, dizia. De facto, os resultados deste inquérito provocaram (naturalmente) uma onda de indignação nas redes sociais a nível mundial. No Twitter surgiu uma campanha realizada pela jornalista Nana Queiroz, onde ela aparecia sem roupa com a frase: “Não mereço ser estrupada [violada]” escrita no corpo. O objectivo passava pelas mulheres fazerem o mesmo, o que aconteceu tornando a incitativa viral . Entretanto, a jornalista denunciou que já foi ameaçada de violação depois de entrar naquela campanha.

Isto surge dias depois de mundo acordar com a notícia de que o Governo iraquiano está a desenvolver um projecto lei que se aplicaria apenas à maioria xiita no país em que autorizava a poligamia, permite aos homens casarem com raparigas a partir de 9 anos e permite ainda a violação dentro do matrimónio. O tema deverá ser discutido no Parlamento depois das eleições de Abril. No Afeganistão, por exemplo, estas leis encontra-se legalizadas desde Março de 2009. Para mim é inconcebível como ainda se permite países fazerem este tipo de leis, na minha perspectiva devia haver sanções graves e uma educação para uma mudança de perspectiva nestes locais… Independente do sexo, todos merecem os mesmos direitos!

Como é que possível em pleno século XXI ainda haver este tipo de resultados em inquéritos ? As instancias mundiais não deviam intervir quando os direitos das mulheres não estão a ser respeitados? 

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em:

     

Dia para brilhar

Não cabia de si de contente, no dia anterior tinha recebido o telefonema a confirmar a presença na segunda fase de selecção para o estágio na empresa de advogados que sempre sonhara. O esforço dos últimos anos tinha compensado, finalmente ia poder pôr em prática aquele que era o seu talento. Vestiu-se com a sua melhor roupa, um fato elegante que tinha comprado recentemente. Olhou-se ao espelho e sentiu-se amplamente confiante. A vida estava, finalmente, a correr-lhe bem.

Estava inserido num grupo de dez pessoas pre-selecionadas , apenas um ia conseguir garantir o estágio. Assim sendo, os próximos dias iam ser decisivos para aquele jovem de 25 anos. O desafio não o atormentava, era o tipo de pessoa que adorava ser constantemente desafiado, não escondia a sua competitividade. Entrou no edifício num passo decidido, hoje era o dia para brilhar. Chegara com cinco minutos de antecedência, foi o primeiro a entrar naquela sala de reuniões. Um bom presságio…

Aos poucos juntaram-se os restantes candidatos, a tensão sentia-se. Iam todos estudar-se aos poucos, numa espécie de teste a quem eram as ameaças. Em cima da hora, faltava apenas uma pessoa que surgiu poucos segundos antes do tempo marcado. Uma jovem mulher captou a atenção de todos. De sorriso fácil aliviou o ambiente de guerra fria que se fazia sentir. O jovem ambicioso não conseguiu deixar de ficar encantado com a beleza daquela loira extremamente atraente. As regras do jogo pareciam ter mudado a partir daquele momento…

[Ficção]

Parte 1 || Parte 2 || Parte 3
Como queres que acabe esta história?
  
pollcode.com free polls 

Está na altura de nova votação, vocês já sabem como isto funciona! Vocês escolhem, eu escrevo o que vai acontecer no final da história. Entretanto, se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em:

     

Um abraço mágico

Dirige-se para sua casa cabisbaixo, o dia tinha-lhe corrido francamente mal. Voltara a falhar, não queria acreditar naquilo que lhe estava a acontecer. A entrevista de trabalho que tinha feito não tinha corrido como pretendia, sabia que não iria ser chamado. Completava quarenta anos daqui a umas semanas e as oportunidades eram cada vez menos, não lhe era permitido continuar a desperdiçar oportunidades. Já não tinha as ilusões da juventude, sabia que aquelas dificuldades eram problemáticas. Estava destroçado por não conseguir ajudar em casa, passava os dias frustrado numa espiral de derrota sem conseguir dar um passo em frente. Ia caminhando sem erguer a cabeça, estava com pena de si próprio. Mesmo tendo uma carreira de prestigio e ser um trabalhador competente e cumpridor, a crise fez com que vivesse um autêntico pesadelo. A sua confiança nunca mais foi a mesma, simplesmente despareceu. Sentia-se perdido, sem rumo. Entrou em casa completamente derrotado, a sua mulher veio rapidamente ter com ele ansiosa por novidades. Não precisou de dizer absolutamente nada, ela abraçou-o instintivamente. Aquele gesto fez com que tudo ficasse melhor. Ela era a sua rocha, possuía a capacidade de tornar todos os seus dias melhores, de afasta-lo daquele abismo negro. Aquela era a força do verdadeiro amor!

[Ficção]

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em: