Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Recordações

Num passado de indefinições, um presente intermitente em que um futuro ambicioso se avizinha

Um Mar de Recordações

Questões inevitáveis (16)

A décima sexta edição das Questões Inevitáveis debruça-se sobre o aumento da violência em Portugal. Somos confrontados, diariamente, com notícias sobre o aumento dos crimes em todas as zonas do nosso país. Mesmo as zonas mais recatadas são invadidas por esta onda de crimes, parece que já não há nenhum local impune a este grave problema.

Na verdade, a criminalidade participada à GNR, PSP e PJ desceu 2% em 2011 face ao ano anterior, tendo a violenta e grave sofrido uma diminuição mais ligeira (1,2%), revelou o Relatório de Segurança Interna. Esse relatório indica que as forças de segurança receberam um total de 405.288 participações, menos 8.312 queixas do que em 2010.

No entanto, de acordo com o mesmo documento, em 2011 aumentaram os crimes de roubo por esticão (mais 21,2%), roubo a ourivesarias (mais 14,2%), furto em residência (mais 6,2%) e roubo em residência (mais 7,3%). Estes dados vem ajudar à ideia pré-concebida de que a crise é a culpada por esta situação, mas será mesmo a única culpada? Ou estamos a viver numa sociedade mais corruptível?

Em 2010, para o então secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, Mário Mendes, defendia que a actual situação de crise económica “não é a causa directa” para um aumento da criminalidade violenta em Portugal. “A crise económica e financeira pode gerar algum pequeno furto nos supermercados, nas mercearias, nos pequenos estabelecimentos, o chamado furto de formigueiro, de pequeno valor, mas não é a causa directa de nenhum aumento de criminalidade violenta”, justificou.

O certo é que o aumento da violência está a atingir números preocupantes e que devem levar a uma rápida reflexão. Acima de tudo é preciso encontrar uma solução a este questão quer seja no aumento da força policial ou na aposta da videovigilância. É indispensável tomar medidas. E, tu, qual é a tua opinião?

 

Sentes que vives num país cada vez mais inseguro? Se sim, quais as medidas que devem ser feitas para combater esse problema?


31 comentários

Comentar post

Pág. 1/3