Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Recordações

Num passado de indefinições, um presente intermitente em que um futuro ambicioso se avizinha

Um Mar de Recordações

Hipnose televisiva

Desde o seu aparecimento, a utilidade televisão tem motivado muito debate. Afinal a televisão forma ou empobrece o cidadão? Esta é uma dúvida pertinente cada vez mais presente no quotidiano. A aposta na imbecilidade da televisão confirma que pouco se ganha ao ligar este aparelho. A razão para esta afirmação? Simples. Cada vez mais chegam até nos programas única e exclusivamente para aumentar o “share” do canal e que não beneficiam em nada o telespectador. Não se está preocupado em melhorar competências, mas em ganhar dinheiro com este negócio.
Infelizmente, os canais televisivos raramente transmitem programas culturais, que instruam o povo português. Muito pelo contrário. Inúmeros programas com pouco teor cultural, entram nas nossas casas com uma frequência aterradora, como por exemplo os “reality shows”, que não tem qualidade alguma. Programas como estes desfilam dramaticamente nas grelhas televisivas e cada vez mais multiplicam-se.
Mas não é só nos “reality shows” que existe problemas. Uma coisa que me revolta é o facto de o horário nobre estar repleto de telenovelas, a história é sempre a mesma e começa cada vez mais a tornar-se saturante. O que mais me choca é que continuam a ser vistas por inúmeras pessoas, tendo um “share” altíssimo… Há como que uma hipnose televisiva em Portugal! A televisão é um espalho da sociedade, portanto se temos uma sociedade retrógrada, tacanha e negativa, a televisão apenas reflecte exactamente isso…
É certo que este aparelho deve chegar a todas as faixas etárias, mas é possível fazê-lo de forma diferente e com melhor qualidade. Existem tão bons programas que podiam ser posicionados em lugares destaque que torna-se inconcebível a continuação de produtos com tão pouca qualidade.
Algo que me preocupa neste actual estado da televisão é que em horários simultâneos encontram-se a dar programas semelhantes em canais diferentes. Torna-se cada vez mais complicado para um telespectador que não aprecie um certo tipo de produto encontrar um registo diferente. Na minha perspectiva, é necessário alterar a grelha televisiva drasticamente para que todos os espectadores se possam sentir atraídos pelo que vêem. No caso da televisão nacional é certo uma coisa: é urgente mudar e necessário inovar.

 

30 comentários

Comentar post

Pág. 1/3