Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Recordações

Num passado de indefinições, um presente intermitente em que um futuro ambicioso se avizinha

Um Mar de Recordações

Uma noite no escritório

Aquela bela mulher estava há pouco tempo na empresa, mas a sua ascensão estava a ser meteórica. Tudo o que fazia era perfeito, não cometia qualquer espécie de imprecisão. Passavam cada vez mais tempo juntos, o que os tornava mais cúmplices e próximos. A sua coordenação era absolutamente fantástica. O presidente estava cada vez mais encantado como se estivesse em qualquer tipo de feitiço. Para ele, a cada dia que passava aquela jovem parecia ficar mais bonita.

O seu feitio agressivo parecia ter adormecido, quase nem parecia a mesma pessoa. Aquela mulher tinha encontrado algum jeito para mudar aquele coração de pedra, fazendo daquele presidente alguém mais paciente e moderado. Tornaram-se raras as típicas explosões de ira no seu gabinete e o ambiente da empresa deixou de ser de tensão.

Ainda assim, ele estava agora mais nervoso que nunca. Desde que tinha sido contratado, ela tinha encontrado formas subtis de o provocar de maneiras que ele nem sequer pensou serem possíveis. Para o presidente, aquela era uma predição constante. Até porque sempre que ele tentava avançar, aquela mulher era sempre capaz de evitar o saboroso toque. Era uma espécie de jogo que era cada vez mais difícil de suportar…

Mas naquela noite tudo seria diferente. Os dois iam ter que ficar a fazer horas extraordinárias para ultimar um novo projecto da empresa. Estava extremamente entusiasmado pelas horas a sós, ainda que as horas custassem a passar. Impacientemente olhou para o seu relógio por diversas vezes. O seu coração acelerou quando a viu chegar. Usava um vestido preto bastante justo que enfatizava as curvas fantásticas que possuía. Engoliu em seco. Essa tenção só desvaneceu quando o edifício, finalmente, começou a ficar vazio. Enfim, estavam sozinhos.

Para sua surpresa, foi ela a tomar a iniciativa. Avançou para o gabinete olhando-o provocatoriamente. Quando chegou junto à porta, virou a cabeça e suavemente mordeu o lábio de forma lasciva. O presidente seguiu-a instintivamente, aquilo era demais para conseguir resistir. Lançou-se ao seu corpo e beijou-a fogosamente. A tentação tinha passado a realidade. Enquanto a beijava apaixonadamente, as suas mãos começaram a percorrer o corpo suave daquela mulher. A noite foi uma intensa volúpia de prazer, algo diferente que alguma vez tivesse ousado experimentar. Pela primeira vez, em muitos anos, aquele presidente tinha escolhido algo que não fosse o seu trabalho.   

 

Parte 1 || Parte 2 || Parte 3

21 comentários

Comentar post

Pág. 1/3