Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Recordações

Num passado de indefinições, um presente intermitente em que um futuro ambicioso se avizinha

Um Mar de Recordações

Olhos nos olhos

Olhos nos olhos como se eles transmitissem o meu anseio, o meu desejo, o meu querer… Como se eles selassem uma promessa, profunda e só nossa, que ao mesmo tempo consegue ser arrebatadora como inconstante. Olhos nos olhos como se essa fosse a chave para o nosso diálogo, como se mais nada importasse, apenas e só continuar a olhar-te com o secreto desejo de querer abraçar, de te querer beijar, no fundo de poder mostrar-te o quanto te quero... Olhos nos olhos como se esse olhar pudesse transmitir todas as palavras necessárias para nos aproximarmo-nos, para te poder mostrar como tudo é tão verdadeiro e real... Olhos nos olhos como se este contacto fosse eterno, sem que ninguém veja ou perceba, sem que ninguém o apanhe ou o interprete… Olhos nos olhos como se aquela troca de olhares reflectisse todas as palavras que deviam ser ditas, sentidas e saboreadas… Olhos nos olhos como se esse olhar te pudesse dar um beijo, como se pergunta-se envergonhadamente se ainda te lembras… Olhos nos olhos como se com o olhar pudesse dizer aquilo que sinto, se devo ou posso faze-lo… A troca de olhares continua e o sentimento persiste…

64 comentários

Comentar post

Pág. 1/3