Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

Páginas Folheadas (5) – Amor de Perdição

Um dos clássicos da literatura portuguesa é o grande destaque do 'Páginas Folheadas' deste mês. A referência é feita a Amor de Perdição de Camilo Castelo Branco, um romance publicado em 1862. A obra é um dos expoentes do período do Romantismo em Portugal. A obra foi alvo de várias adaptações cinematográficas, a que teve mais importância foi o filme realizado por Manoel de Oliveira em 1979.

A redacção dessa obra foi inspirada em fatos reais, vividos pelo tio de Camilo Castelo Branco, Simão António Botelho, preso por homicídio na Cadeia da Relação do Porto. O romance aborda duas famílias nobres – os Botelho e os Albuquerque – vêem o ódio mútuo ameaçado pelo amor entre Simão Botelho e Teresa Albuquerque. O amor este casal improvável é contrariado pelo mundo exterior que vai levantado inúmeros obstáculos. Há uma clara batalha entre duas gerações completamente distintas. Será que o sentimento vai sobreviver ou vão ser consumidos pela perdição?

Um livro com um forte traço shakespeareano, Amor de Perdição é uma obra muito equilibrada e com um enredo forte e directo. Durante a obra, Camilo Castelo Branco escreve de forma primordial uma luta entre o amor e o ódio. Ao longo das páginas, não nos deparamos com um número excessivo de personagens, na verdade são as suficientes para que a acção se desenrole. O espaço caracterizado pelo ambiente social, numa sociedade provinciana na região da Beira Alta. É importante referir também a linguagem adequada presente ao longo da história, com um tom de ironia fortemente utilizado. 

 (Se ficaste interessada/o no livro, clica na imagem para comprar)

 

 

Já leram ou tem curiosidade de ler este livro? Tem interesse pela literatura portuguesa? Eram capazes de ir contra a vossa família por um verdadeiro amor?

O 'Um Mar de Recordações' agora tem uma conta no Twitter, portanto o pessoal que anda por lá, faça o favor de adicionar aqui.  Entretanto, continua a ajudar a fazer o blogue crescer em:

        

60 comentários

Comentar post

Pág. 1/6