Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

Sala de Cinema (35) – Django Unchained

Não resisto a partilhar a minha opinião sobre Django Unchained, um dos filmes que mais gostei de ver nos últimos anos. O regresso em grande de Quentin Tarantino, num filme com um enredo muito bem executado. Confesso que sou um grande fã deste realizador, não perco um filme dele. Este não podia ser excepção! Com uma receita de 425 milhões de dólares, Django Unchained tornou-se a longa-metragem de maior bilheteira de Tarantino até hoje.

Passado no sul dos Estados Unidos, este filme acompanha de Django (Jamie Foxx), um escravo vendido ao caçador de recompensas alemão  Dr. King Schultz (Christoph Waltz) para ajudar na captura dos irmãos assassinos Brittle. O seu sucesso leva Schultz a libertar Django, mas os dois acabam por permanecer juntos a perseguir os criminosos mais procurados do país. No entanto, o agora escravo liberto mantém-se focado num objectivo: encontrar e resgatar Broomhilda (Kerry Washington), a sua mulher que perdeu no comércio de escravos. Assim sendo, a trama gira em torno da possibilidade de Django conseguir ou resgatar sua esposa do poderoso  Calvin J. Candie (Leonardo DiCaprio)…

Ao contrário de outros filmes de Quentin Tarantino, Django Unchained tem uma narrativa linear, com excepção a alguns flashback. A forma ousada e sangrenta com que são descritas algumas das cenas exibem a precisão de como este enredo está estruturado. A banda sonora também é simplesmente electrizante e cativante. É preciso ter especial atenção à forma cirúrgica com que são apresentados temas como a escravidão e o racismo. Enalteço também a caracterização das personagens que é muito cuidada e extraordinária.

Num elenco recheado de talento onde se destacam as performances de Leonardo DiCaprio e Christoph Waltz. Aliás, a cena em que DiCaprio corta a mão é digna de um Óscar… Muito elogiado pela crítica, o filme foi nomeado para cinco Óscares na cerimónia de 2013. Acabou por ganhar nas categorias de actor secundário (Christoph Waltz) e melhor argumento original. A longa-metragem arrecadou ainda dois Globo de Ouro e outros dois BAFTA nas mesmas categorias – actor secundário e melhor argumento.

Já viram o Django Unchained? O que mais vos impressionou neste filme? Gostam do estilo de Quentin Tarantino?

 

 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

Sala de cinema (7) – Sherlock

Á sétima edição da Sala de Cinema temos uma menção especial, hoje em vez de um filme, trago-vos uma série - Sherlock . Esta alteração deve-se, essencialmente, a ter ficado estupefacto com a enorme qualidade desta produção da BBC. Portanto, não podia deixar de fazer menção a uma das personagens que mais gostava quando era mais novo: o fantástico e misterioso Sherlock Homes. Em Portugal, esta série é transmitida pelo canal AXN.
Com o habitual humor britânico, esta série segue as histórias e os casos do detective particular Sherlock Holmes e seu fiel companheiro, o Dr. John Watson , na Inglaterra nos dias actuais. Todos os episódios da série são baseados em livros de Sherlock Holmes e transformados em contos contemporâneos. Até agora já saíram duas temporadas no total de seis episódios e a terceira já está confirmada para ser lançada no próximo ano.
Tenho a certeza que Sir Arthur Conan Doyle , autor dos livros, ficaria bastante satisfeito depois de algumas adaptações desastradas à sua obra-prima. Numa história muito bem produzida, as personagens estão expendidas! A actuação tanto de Sherlock Holmes (Benedict Cumberbatch) como de Jim Moriaty (Andrew Scott) são um hino à representação! A recepção de Sherlock foi incrivelmente positiva pela crítica e ganhou mesmo o BAFTA de melhor série de drama (2011 e 2012) e o prémio de melhor actor secundário para Martin Freeman (2011) e Andrew Scott (2012). Deixo-vos então com o trailer da primeira temporada desta grande série: