Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

"Os Grandes Portugueses" (31) - Souto Moura

Nome: Eduardo SOUTO MOURA

Data e Local de Nascimento: Porto, 25 de Julho de 1952

Profissão que se notabilizou: Arquitecto

 

Feitos importantes:

  • Formado pela Escola Superior de Belas Artes do Porto, iniciou a sua carreira colaborando no atelier de Álvaro Siza Vieira.
  • Em 1981, recém-formado, surpreendeu a comunidade ao vencer o concurso para o projecto do Centro Cultural da Secretaria de Estado da Cultura no Porto, conquista que o viria a lançar para a sua carreira a nível nacional e internacional.  
  • Numa primeira fase da sua carreira, Souto Moura foi um arquitecto na vertente miesziana. Contudo a partir da Casa em Cascais, em 2002, começou a redesenhar a forma de construir e criar arquitectura através da complexidade e dinamismo de formas.
  • É um dos expoentes máximos da chamada Escola do Porto, vencedor do Prémio Pritzker em 2011, o Óscar da Arquitectura. Venceu mais prémios durante a sua carreira como o Prémio Pessoa (1998) e o Prémio Secil (1992, 2004 e 2011).
  • A 14 de Julho de 2011, Souto de Moura foi distinguido pela Faculdade de Arquitectura e Artes da Universidade Lusíada do Porto com o doutoramento Honoris Causa.

 

Obras mais notáveis:

1990/94 - Departamento de Geociências da Universidade de Aveiro;

1991 - Burgo Empreendimento (edifícios de escritórios e galeria comercial), na Avenida da Boavista, Porto;

1995/98 - Projecto de conteúdos do Pavilhão de Portugal para a Expo 98;

1997 - Projecto de arquitectura para o Metro do Porto;

2000/03 - Estádio Municipal de Braga para o Euro 2004;

2005 - Serpentine Gallery Pavilion, nos Kensington Gardens, em Londres (com Álvaro Siza Vieira);

2005/09 - Casa das Histórias Paula Rego, Museu em Cascais.

 

 
 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

"Os Grandes Portugueses" (30) – Sá Carneiro

Nome:  FRANCISCO Manuel Lumbrales de SÁ CARNEIRO

Data e Local de Nascimento: Porto, 19 de Julho de 1934 

Data e Local da sua Morte:  Camarate, 4 de Dezembro de 1980

Profissão que se notabilizou: Advogado e político

 

Feitos importantes:

  • Cresceu no seio de uma família católica da alta burguesia no Porto, mas acabou por licenciar-se pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa em 1956. Exerceu a profissão de advogado na sua cidade natal. Mais tarde, em 1969, foi eleito deputado à Assembleia Nacional pelas listas da União Nacional, o partido único do regime salazarista. Colaborou com Mota Amaral na elaboração de um projecto de revisão constitucional, apresentado em 1970. Acabou por resignar ao cargo de deputado após ser recusada a proposta com outros membros da Ala Liberal, entre os quais Francisco Pinto Balsemão e Magalhães Mota.
  • Em Maio de1974, após a Revolução dos Cravos, Sá Carneiro fundou o Partido Popular Democrático (PPD), juntamente com Francisco Pinto Balsemão e Joaquim Magalhães Mota. Sá Carneiro tornou-se o primeiro secretário-geral do partido e, em Outubro de 1976, após a reforma dos estatutos, o primeiro presidente do partido, que então passou a designar-se Partido Social Democrata (PSD).
  • Em finais de1979, criou a Aliança Democrática, uma coligação entre o seu PPD/PSD, o Partido do Centro Democrático Social (CDS) de Diogo Freitas do Amaral, o Partido Popular Monárquico (PPM) de Gonçalo Ribeiro-Telles, e alguns independentes. A coligação vence as eleições legislativas desse ano com maioria absoluta. Dispondo de uma ampla maioria a apoiá-lo (a maior coligação governamental até então desde o 25 de Abril) que demonstrava todo o seu carisma e apoio popular.
  • Faleceu na noite de4 de Dezembro de 1980 em circunstâncias nunca completamente esclarecidas, quando o avião no qual seguia se despenhou em Camarate, quando se dirigia para o Porto para participar num comício de apoio ao candidato presidencial da coligação, o General António Soares Carneiro. Juntamente com ele faleceu o Ministro da Defesa, o democrata-cristão Adelino Amaro da Costa.
  • O aeroporto internacional do Porto, para o qual ele se dirigia, foi posteriormente rebaptizado com o seu nome. A 13 de Julho de 1981 foi agraciado a título póstumo com a Grã-Cruz daOrdem Militar de Cristo, a 17 de Março de 1986 com a Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito e a 20 de Dezembro de 1990 com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade.

 

 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

"Os Grandes Portugueses" (29) – Marquês de Pombal

Nome: Sebastião José de Carvalho e Melo (conhecido como MARQUÊS DE POMBAL)

Data e Local de Nascimento: Lisboa, 13 de Maio de 1699 

Data e Local da sua Morte:  Pombal, 8 de Maio de 1782

Profissão que se notabilizou: Estadista 

 

Feitos importantes:

  • Foi embaixador de D. João V nas cortes inglesa e austríaca. Embora sem significativo sucesso para Portugal, estas missões foram importantes para a formação política e económica de Sebastião José de Carvalho e Melo. Em 1750, com a subida ao trono de D. José, foi nomeado secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Guerra.
  • A sua grande capacidade de trabalho e de chefia revelou-se na forma como encarou o trágico terramoto de 1755, momento a partir do qual se tornou o homem de confiança de D. José I. A partir daí empenhou-se fortemente no reforço do poder régio, diminuindo o poder de algumas casas nobres.
  • A 13 de Janeiro de 1759, acusados de tentativa contra a vida do rei, o duque de Aveiro, o marquês de Távora e a sua mulher foram torturados e executados em acto público. Expulsou e confiscou os bens da Companhia de Jesus devido a serem um entrave ao fortalecimento do poder régio. Em 1759, recebe o título de conde de Oeiras e, em 1769, o de marquês de Pombal.
  • As dificuldades económicas no Reino, provocadas sobretudo pela interrupção na exploração do ouro brasileiro, obrigaram o marquês a retomar a política de fomento industrial. Reformou o ensino, anteriormente nas mãos dos Jesuítas, através da adopção de novos métodos pedagógicos e da criação de novas escolas. Reformou a administração, as finanças e o sistema militar.
  • Cometeu vários abusos do poder, o que lhe valeu a antipatia e a criação de inúmeros inimigos. Com o falecimento de D. José I, a oposição ao marquês tornou-se muito activa. Exilado em Pombal, o marquês defendeu-se atribuindo responsabilidades ao rei D. José I. Atendendo à sua idade avançada, 80 anos, foi apenas condenado a viver afastado de Lisboa…

Qual é a tua opinião sobre uma das figuras mais controversas em Portugal? As suas decisões foram ou não importantes para o desenvolvimento do país?

O 'Um Mar de Recordações' agora tem uma conta no Twitter, portanto o pessoal que anda por lá, faça o favor de adicionar aqui.  Entretanto, continua a ajudar a fazer o blogue crescer em:

        

"Os Grandes Portugueses" (28) – Mário Crespo

Nome: MÁRIO CRESPO

Data e Local de Nascimento: Coimbra, em 13 de Abril de 1947

Profissão que se notabilizou: Jornalista

 

Feitos importantes:

  • Natural de Coimbra, passou a sua juventude em Lourenço Marques. Regressa a Portugal, onde se matricula pouco depois em Engenharia, no Instituto Superior Técnico, mas acaba por desistir no primeiro ano. Chamado a cumprir o serviço militar obrigatório, em 1970, foi transferido para Moçambique, numa altura em que o país está em plena guerra de independência. 
  • Após o 25 de Abril, parte para Joanesburgo (África do Sul) acompanhado da mãe e sem quaisquer pertences. É aí que inicia a carreira jornalística como estagiário na rádio da South African Broadcasting Corporation, onde foi depois promovido a chefe de redação. Em 1982, regressa a Lisboa e vai para a redação da RTP, onde apresenta diversos programas informativos.
  • Com os estalar da Guerra do Golfo, em 1991, é destacado como correspondente da RTP em Israel. Pouco tempo depois,  é destacado como correspondente para os EUA pela estação pública. Trabalha como chefe de agência em Washington e correspondente em Nova Iorque. Durante em esse período, surgem uma série de desentendimentos entre Mário Crespo e a RTP. Em 1998, o canal televisivo deixou de pagar o salário e as despesas, o que leva ao jornalista a regressar a Portugal.
  • Como um ano e meio de contrato e sem lhe ser atribuídas funções, meteu um processo em tribunal contra a estação. A RTP acaba por colocá-lo num edifício fora da redação, recebendo apenas um terço do salário que recebia em Washington. É também alvo de alguns processos disciplinares. Durante esse período deu aulas na Universidade Independente.
  • Em Agosto de 2000, após receber confirmação que podia ingressar na redação da SIC Notícias como editor de jornalismo internacional, apresenta à RTP a carta de demissão por justa causa por não ter funções atribuídas. Já neste ano e depois de treze anos a trabalhar na SIC e SIC Notícias, pediu a passagem à reforma. Em 26 de Março de 2014, apresentou pela última vez o Jornal das 9, concluindo com uma despedida emocionada.
     
O que acham do trabalho de Mário Crespo? É uma figura que faz falta ao jornalismo nacional?

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em:

     

"Os Grandes Portugueses" (27) - Cavaco Silva

Nome: Aníbal António CAVACO SILVA

Data e Local de Nascimento: Loulé, em 15 de Julho de 1939

Profissão que se notabilizou: Economista e Político

 

Feitos importantes:

  • Cresce em Boliqueime, perto de Loulé, onde o pai se dedicava à exploração de frutos secos e ao comércio de combustíveis. Tira o curso de Contabilidade no Instituto Comercial de Lisboa em 1959 e licencia-se em 1964 em Finanças no Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras (ISCEF) com a mais alta qualificação do seu ano. No final de 1965 torna-se bolseiro do Centro de Economia e Finanças da Fundação Calouste Gulbenkian, onde se dedica à investigação.
  • Inicia funções como assistente de Finanças Públicas, no ISCEF até 1978. Parte com a família para Grã-Bretanha onde doutora-se em Economia Pública, na Universidade de York (1971). Em 1977 muda-se para o Banco de Portugal, assumindo o cargo de director do Departamento de Estatística e Estudos Económicos. Ao mesmo tempo, passa a integrar, como vogal, a Comissão Instaladora da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa. Acabaria por chegar a professor catedrático nesse estabelecimento de ensino.
  • Chega à política em 1979, a convite de Francisco Sá Carneiro. Um ano mais tarde, toma posse como ministro das Finanças do VI Governo Constitucional. Em Fevereiro de 1981 é eleito, pela Assembleia da República, presidente do Conselho Nacional do Plano (órgão que antecedeu o Conselho Económico e Social). Após a demissão de Carlos Alberto da Mota Pinto em 1985, acaba, surpreendentemente , por se eleito para presidente do partido. Nas eleições legislativas desse ano, o PSD obteve o melhor resultado de sempre (29,8% dos votos) dando início a um governo minoritário.
  • Foi primeiro-ministro de Portugal de 6 de Novembro de 1985 a 28 de Outubro de 1995, tendo sido a pessoa que mais tempo esteve na liderança do governo do país desde o 25 de Abril. Cavaco Silva leva a cabo reformas estruturais da administração e na direcção económica do país. Nesses anos foram feitas reformas fiscais, que introduziram o IRS e o IRC, privatizaram-se empresas públicas, reformaram-se as leis laborais e agrárias e liberalizou-se a comunicação social, de que resultou a abertura da televisão à iniciativa privada e mais liberdade de informação. Foi também nesta altura que Portugal aderiu à Comunidade Económica Europeia (futura União Europeia).
  • Desde 2006, torna-se presidente da Republica Portuguesa, o que marca pela primeira vez, em democracia portuguesa, a eleição de um presidente oriundo do centro-direita. Foi reeleito nas eleições presidenciais de 23 de Janeiro de 2011.

Cavaco Silva é o político portugues mais relevante? Como classificam o seu trabalho como presidente da Republica?

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em: