Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

Sala de Cinema (35) – Django Unchained

Não resisto a partilhar a minha opinião sobre Django Unchained, um dos filmes que mais gostei de ver nos últimos anos. O regresso em grande de Quentin Tarantino, num filme com um enredo muito bem executado. Confesso que sou um grande fã deste realizador, não perco um filme dele. Este não podia ser excepção! Com uma receita de 425 milhões de dólares, Django Unchained tornou-se a longa-metragem de maior bilheteira de Tarantino até hoje.

Passado no sul dos Estados Unidos, este filme acompanha de Django (Jamie Foxx), um escravo vendido ao caçador de recompensas alemão  Dr. King Schultz (Christoph Waltz) para ajudar na captura dos irmãos assassinos Brittle. O seu sucesso leva Schultz a libertar Django, mas os dois acabam por permanecer juntos a perseguir os criminosos mais procurados do país. No entanto, o agora escravo liberto mantém-se focado num objectivo: encontrar e resgatar Broomhilda (Kerry Washington), a sua mulher que perdeu no comércio de escravos. Assim sendo, a trama gira em torno da possibilidade de Django conseguir ou resgatar sua esposa do poderoso  Calvin J. Candie (Leonardo DiCaprio)…

Ao contrário de outros filmes de Quentin Tarantino, Django Unchained tem uma narrativa linear, com excepção a alguns flashback. A forma ousada e sangrenta com que são descritas algumas das cenas exibem a precisão de como este enredo está estruturado. A banda sonora também é simplesmente electrizante e cativante. É preciso ter especial atenção à forma cirúrgica com que são apresentados temas como a escravidão e o racismo. Enalteço também a caracterização das personagens que é muito cuidada e extraordinária.

Num elenco recheado de talento onde se destacam as performances de Leonardo DiCaprio e Christoph Waltz. Aliás, a cena em que DiCaprio corta a mão é digna de um Óscar… Muito elogiado pela crítica, o filme foi nomeado para cinco Óscares na cerimónia de 2013. Acabou por ganhar nas categorias de actor secundário (Christoph Waltz) e melhor argumento original. A longa-metragem arrecadou ainda dois Globo de Ouro e outros dois BAFTA nas mesmas categorias – actor secundário e melhor argumento.

Já viram o Django Unchained? O que mais vos impressionou neste filme? Gostam do estilo de Quentin Tarantino?

 

 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

Sala de cinema (19) – Especial Óscares

A noite mais esperada do ano para os amantes do cinema chegou finalmente. Esteve em causa a excelência em realizações cinematográficas naquela que já é a 85.ª edição que este ano foi apresentada por Seth MacFarlane , a voz de Peter Griffin em Family Guy . Pela primeira vez em dois anos de existência, o ‘Um Mar de Recordações’ acompanhou em directo a cerimónia realizada no Dolby Theatre , desde a passadeira vermelha até à entrega da última estatueta dourada.
Numa noite em que as escolhas de indumentária ficaram muito aquém do esperado, houve poucas estrelas que brilharam realmente na passadeira vermelha. No princípio da noite a chegada de Jessica Chastain trouxe algum entusiasmo. A nomeada para melhor actriz no filme Zero Dark Thirty não desapontou e espalhou beleza num longo vestido creme Armani . É verdade que não arriscou , mas também é certo que foi uma aposta ganha. O penteado também merece muitos elogios.

 

Jennifer Lawrence , também candidata a melhor actriz no filme Silver Linings Playbook , veio à cerimónia dos Óscares vestida à princesa. Num Christian Dior , a talentosa jovem mostrou que queria chegar ao trono do cinema. Apesar de um pouco conservador (confesso que esperava algo mais arrojado), a escolha resultou e foi mesmo considerada a mais bem vestida da gala. Certo é que em caso de vitória, iria precisar de muita ajuda para subir as escadas, mas com certeza não irá haver voluntários para querer ajudá-la...

 

 

Aos 44 anos, Naomi Watts mostra toda a sua elegância e beleza. A vestir Armani, a nomeada para melhor actriz pela interpretação em Impossível, escolheu o cinzento metalizado que foi uma das cores mais frequentes desta noite. O corte do vestido é qualquer coisa de espectacular. Uma aposta segura para uma das mais bem vestidas nesta noite.

 

 

Por último, quem também esteve em destaque foi Amanda Seyfried . Apesar de não estar nomeada para uma categoria individual, a loira de 27 anos trouxe algum brilho a uma noite muito morna. Para cerimónia, a actriz dos Miseráveis esteve totalmente magnífica neste lindíssimo vestido de Alexander McQueen que tinha uns padrões geniais.

 

 

Desde 1929, a premiar os melhores trabalhos da sétima arte as expectativas não podiam estar mais altas. Em 24 categorias, Lincoln era o filme com mais nomeações para este ano com 12, mais uma que a Vida de Pi . Destaque para Silver Linings Playbook que conseguiu a nomeação para todas as quatro categorias de actuação, o último filme que tinha alcançado esse feito foi Reds , em 1981.
Numa cerimónia com pouca chama, Argo foi o grande vencedor da noite ao arrecadar o Óscar de melhor filme apresentado pela primeira-dama Michelle Obama (naquela que foi uma das grandes surpresas da noite). O suspense dramático realizado por Bem Aflleck venceu ainda nas categorias de Melhor Montagem e de Melhor Argumento Adaptado.
O evento ficou marcado pela histórica vitória do britânico Daniel Day-Lewis que tornou-se o primeiro a conseguir três Óscares de Melhor Actor. Depois de O Meu Pé Esquerdo e Haverá Sangue, conseguiu também, com Lincoln , reforçar o estatuto de lenda viva na 7.ª arte! Uma consagração justa que justifica a qualidade apresentada na longa-metragem que foi a grande derrotada da noite. A obra de Spielberg era a mais nomeada, mas só venceu mais um prémio – Desenho de Produção.
A bela Jennifer Lawrence arrecadou o prémio para Melhor Actriz e deu a única estatueta dourada para o Silver Linings Playbook . Mesmo a cair nas escadas, a 'princesa da noite' alcançou a eternidade no cinema ao conquistar o maior troféu com apenas 22 anos. Um prémio mais que merecido para esta jovem talentosa que surpreendeu a crítica com uma performance brilhante.
A vida de pi venceu quatro Óscares e acabou a noite com o maior número de vitórias, uma demonstração de como não houve um filme que dominasse a cerimónia. Além de Melhores Efeitos Visuais, Fotografia, Banda Sonora, o filme valeu a Ang Lee o troféu de Melhor Realizador numa das categorias mais disputadas.
Numa cerimónia que homenageou os musicais, Os Miseráveis conseguiram levar para casa três estatuetas: a esperada de Melhor Actriz Secundária (Anne Hathaway), Maquilhagem e Efeitos Sonoros. O cinquentenário de 007 também não foi esquecido e Skyfall ganhou a Melhor Canção Original e partilhou o Óscar de Montagem de Som com Zero Dark Thirty. Um empate invulgar que só aconteceu em outras cinco ocasiões, sendo que a última foi em 1994 na categoria de melhor curta-metragem.
Quentin Tarantino também voltou a conquistar um Óscar de Argumento Original (depois de Pulp Fiction), graças a Django Libertado, filme que deu ainda o prémio de Melhor Actor Secundário a Christoph Waltz . Tarantino arrecada uma nova distinção que já merecia. A Academia parece (finalmente) dar o devido destaque ao realizador, até porque estava a tornar-se absurdo este constante 'esquecimento'. Menção para portuguesa Rita Blanco que pertenceu ao elenco de Amour, vencedor do Filme Estrangeiro. A película austríaca era a grande favorita e foi com naturalidade que venceu a estatueta.
No final, os Óscares não tiveram muitas surpresas do que aquilo que se esperava desta gala e mostrou novamente que a Academia é pouco adepta a pasmar a audiência. O serão foi bem conduzido por MacFarlane , um dos melhores apresentadores dos últimos anos, que no seu estilo polémico conseguiu roubar muitos aplausos e gargalhadas ao público presente no Dolby Theatre . Ficamos então com o trailer do vencedor da noite… Argo !

 

LISTA COMPLETA DOS PREMIADOS:

Melhor Filme - 'Argo'

Melhor Actor - 'Lincoln' (Daniel Day-Lewis)
Melhor Actriz - 'Guia Para um Final Feliz' (Jennifer Lawrence)

Melhor Realizador - 'A Vida de Pi' (Ang Lee)

Melhor Actriz Secundária - 'Os Miseráveis' (Anne Hathaway)
Melhor Actor Secundário - 'Django Libertado' (Christoph Waltz)

Melhor Filme Estrangeiro - ‘Amour'

Melhor Filme de Animação - ‘Brave - Indomável'

Melhor Argumento Adaptado - 'Argo'

Melhor Argumento Original - 'Django Libertado'

Melhor Fotografia - ‘A Vida de Pi'

Melhor Guarda-Roupa - ‘Anna Karenina'

Melhor Montagem - 'Argo'

Melhor Desenho de Produção - 'Lincoln'

Melhores Efeitos Especiais - ‘A Vida de Pi'
Melhor Montagem de Som - '00:30 - A Hora Negra' e 'Skyfall'

Melhor Edição de Efeitos Sonoros - 'Os Miseráveis'

Melhor Banda Sonora Original - 'A Vida de Pi'
Melhor Canção Original - 'Skyfall' (por Adele)

Melhor Maquilhagem - ‘Os Miseráveis'

Melhor Curta-Metragem de Animação - ‘Paperman' (Disney)

Melhor Curta-Metragem - 'Curfew'

Melhor Curta-Metragem Documental - 'Inocente'
Melhor Documentário - 'Searching for Sugar Man'


Qual foi a vossa opinião da cerimónia? As vitórias foram justas? Quem foi o grande vencedor: A vida de pi ou Argo ? Qual foi a maior surpresa da gala?