Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Num passado de indefinições, um presente intermitente em que um futuro ambicioso se avizinha

Um Mar de Recordações

Um dia mágico!

A manhã despertou solarenga, um calor tímido aquecia num rotineiro dia de Inverno. A temperatura tinha estado particularmente baixa nos últimos tempos, no entanto aquele jovem tinha acordado para um dia de Dezembro especial. Vestido de formal, avançava num passo apressado para o trabalho. Olhou rapidamente para o relógio, estava a ficar atrasado. Pensava que ia para mais um dia monótono e rotineiro, não podia estar mais enganado. Quando já tinha chegado à rua da empresa, o telemóvel começou a vibrar no seu bolso. "Nasceu ontem à noite", ouviu do outro lado na linha num tom de voz embriagada. Nasceu um sorriso enorme naquele jovem que começava a ficar atrasado. O tempo parou por momentos. Era aquilo que precisava de ouvir para fazer daquele dia inesquecível. Rapidamente, combinou encontrar-se naquela tarde sem conter o entusiasmo por aquela boa nova. A partir daí, o dia foi passado a contar as horas que teimavam em avançar tão lentamente. O coração batia de forma acelerada quando a hora de saída finalmente chegou. Começou a correr, apenas descansou quando passou por aqueles corredores despidos do hospital. Não precisou de muito tempo para chegar à ala de maternidade. "O padrinho chegou", ouviu mal entrou na pequena sala. 

 
 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

Um perfume especial

O cheiro das flores era contagiante, sempre que passava por aquela rua ficava hipnotizada com o cheiro tão característico. Era algo tão diferente pois vivia rodeada por aquele cidade tão cinzenta e sisuda. De facto, aquela florista trazia cor a todo aquele espaço, dava-lhe vida. Para aquela mulher, era o melhor momento de um dia repleto de uma rotina exasperante. Parou um pouco e fechou os olhos, pois queria aproveitar aqueles curtos segundos. Atrás de si, ouviu alguém a resmungar numa voz áspera por aquela paragem tão espontânea e brusca. A hora de ponta era sempre problemática naquela rua emblemática de uma cidade demasiado movimentada. Apenas desejava uma pausa daquele sufoco constante. Aquele seria um fugaz momento para ganhar coragem para mais um longo dia de trabalho. Respirou fundo. O perfume percorreu as suas narinas. Aquela mulher na casa dos 40 anos largou um enorme sorriso, satisfeita por aquele momento libertador. Abriu repentinamente os olhos e regressou ao seu caminho com a esperança renovada. Tinha fé que aquele dia ia correr bem...

 
 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

O primeiro mergulho do ano

O sol brilhava em todo o seu esplendor, o tempo estava simplesmente extraordinário. Olhou em volta. Á sua frente tinha uma praia completamente deserta. A Primavera tinha-o brindando com um dia fabuloso. Largou um rasgado sorriso. Não conseguia esconder a felicidade, aquela are a imagem perfeita. Não podia ter tido um melhor dia de folga do escritório. De alguma forma sentia que estava no seu pequeno paraíso, o seu refúgio que procurava quando queria afastar-se do mundo repleto de stress em que vivia. Sentiu uma pequena brisa, fechou os olhos e aproveitou aquela situação furtuita. Queria que aquele momento permanece-se eternizado na sua mente. Lembrar-se daquela serenidade. Abriu os olhos. Largou os chinelos e roupa junto ao carro e começou a correr pelo areal. Nem a água fria o parou. Deu um longo mergulho, o primeiro do ano. Submergiu à superfície, satisfeito pelo seu plano ter corrido como desejava.

 

 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

Uma viagem ao encontro do amor…

Conheciam-se há meses através das evoluções da tecnologia, não passavam um dia sem se falar. Ele vivia numa cidade em constante alvoroço, já ela morava numa vila pacata. Partilhavam tudo, eram os maiores confidentes, de alguma maneira, eram mesmo verdadeiros amantes. Nenhum dos dois conseguia explicar aquele sentimento que nutriam um pelo outro, apenas amaldiçoavam a distância que os afastava. Não havia dia que não fantasiassem com uma vida em conjunto. Faziam planos, contavam os maiores segredos, a confiança entre os dois era cega. Ainda assim nunca tinham estado juntos, desconheciam a sensação de colocar os seus sonhos em prática. Cobiçavam diariamente esse momento, desejavam ardentemente sentir o toque um do outro. Queriam, no fundo, amar-se em toda a plenitude.

Naquele dia, em que a saudade o atormentava especialmente decidiu cometer uma loucura. Saiu de casa e comprou um bilhete para a vila da sua amada. Era uma decisão intempestiva, mas inevitável. Tinha-se cansado de evitar aquela decisão! Como podia? Estava a lutar pela sua felicidade, por aquele amor intenso e verdadeiro. A viagem seria dentro de cinco dias e decidiu não lhe contar o que tinha feito. Queria-a surpreender, ver a sua reacção genuína. A espera foi uma tortura interminável, estava ansioso para que o dia chegasse finalmente. Enquanto falavam tentava afastar o entusiasmo que sentia, não queria estragar a surpresa…

O dia acabou por chegar, tremia de ansiedade mas tinha um enorme sorriso na cara. Ia vê-la e isso não tinha preço! Na verdade, era um sonho tornado realidade, nada podia se igualar aquela sensação. Horas depois, chegou aquela pequena vila e dirigiu-se à morada onde já tinha enviado dezenas de cartas. Andava depressa, quase a correr, estava muito entusiasmado. Agora tinha de ir em frente, o encontro iria realmente acontecer. Tocou à campainha e pouco tempo depois ouviu passos apressados a correr até à porta. Uma bonita jovem abriu-a e ficou embasbacada com quem se encontrava do lado de fora. Nervosa, sorriu timidamente. O rapaz, também sem jeito, retribuiu o gesto. Ambos sabiam que estavam a olhar para a sua alma gémea.

Momento de brilhar

Hoje era dia de um grande concerto, o seu maior desafio da sua ainda curta carreira. Estava mais nervoso do que aquilo que queria admitir, a responsabilidade era imensa. Ia ter a sua maior enchente com um pavilhão repleto de fãs anciosos por se encatar com a sua perfomance intimista. Não podia falhar e desiludir toda aquela gente, aquele era o momento de bilhar ao mais alto nível. Não se podia arriscar a ser apenas uma estrela enfemura perdida no esquecimento popular. Queria fazer uma longa carreira recheada de sucesso e para isso precisava de conquistar aquele publico num espetaculo emocionante comovente e próximo.

Nada podia falhar! Viu-se ao espelho, o seu olhar motivado e focado destacava-se num rosto belo e bem cuidado. Foi chamado instantes depois, dirigiu-se rapidamente para o palco. No caminho recebia várias palavras de incentivo da sua equipa. Por mais confiante que estivesse não podia esperar a reacção que teve. Mal apareceu no palco foi brindado pelo um coro de aplausos ensurcedor. A sensação foi arrebatadora! O pavilhão cheio a aclamá-lo foi uma adrenalina incrivel, aquele era o incentivo que precisava para tornar aquela uma noite memoravel.

A música começou lentamente, mas só quando ouviu os primeiros acordes é que começou a cantar. A sua voz perfeita hipnotizava toda a gente num silêncio que o arrepiou. Tinha agarrado o público nas primeiras notas. Enquanto cantava, via pessoas na primeira fila a emocionarem-se com a letra da sua canção. Terminou-a brindado com uma entusiastiva ovação. Naquela altura, finalmente, entendeu que nunca esteve sozinho. Tinha aquele amor incondicional dos seus fãs e naquela noite entendeu que isso era o que mais importava para ele.

[Ficção]

Saudades de ti

O meu coração vive atormentado com saudades por não te ter aqui junto a mim. Passaram-se dias desde a última vez que te vi, e é cada vez mais insuportável passar esses dias sem o teu sorriso e carinho. Sinto a tua falta, preciso de ti! Nunca soube lidar bem com esta saudade impossível de suportar. A única coisa que me consola nestes momentos de dor é que a cada dia que passa fico mais perto do teu fabuloso toque.
Enquanto isso desespero pelo nosso reencontro. Não consigo resistir a sonhar e pensar em ti a cada momento. Por muito longe que estejas, a verdade é que não saís do meu pensamento, nem do meu coração. Nenhum obstáculo é forte o suficiente para me afastar do prazer de recordar todos os momentos de felicidade que já passamos juntos. Não consigo esconder o sorriso de quão feliz me fazes, meu amor!
Sei que quando voltarmos a estar juntos vai ser uma explosão de sentimentos. Na realidade, não há maior felicidade que ter-te novamente nos meus braços. Só de pensar nisso fico completamente arrepiado… E sabes o que é que tudo isto quer dizer? É simples, minha amada… Significa que amo-te incondicionalmente de uma forma que nem eu sei explicar e que teres aparecido foi a melhor coisa que me aconteceu na minha vida!

Momento de liberdade

Tinha acabado de sair do trabalho e chovia torrencialmente lá fora. Ele não quis esperar que o temporal ficasse mais calmo. Não tinha guarda-chuva. Nunca o trazia, para ele era um utensílio dispensável. Começou a correr pela rua molhada, onde ninguém passava. Estava sozinho, apenas ele tinha decidido sair. Nunca tinha sido audaz para estas atitudes intempestivas mas hoje escolheu sair da rotina. Quis soltar-se. No fundo, quis ser livre por momentos e aproveitar esse tempo como se fosse o último que aquela patética vida lhe permitia. Sem nenhuma justificação, parou e reparou que todo o seu corpo estava completamente encharcado. Não conseguiu deixar de sorrir. Algo tão simples provocou-lhe uma segurança e calma que não sentia há muito tempo. Onde se tinha perdido? Não conseguiu deixar de se perguntar. Era curioso como nos esquecemos com tanta facilidade do prazer que a verdadeira facilidade nos provoca. É algo tão básico que nos esquecemos de lhe dar valor e sem nos apercebermos afastamo-nos perigosamente dela. Desta vez ia ser diferente. Ele não ia permitir que se perdesse de novo. Ergueu os braços e fechou os olhos, sentiu-se quase abençoado por aquela chuva que não parava de cair. Sabia tão bem voltar a encontrar a felicidade. Foi nesse dia que aprendeu novamente o valor de um sorriso sincero. 

[Ficção]