Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

Imagem espontânea (39) - Um Maio sempre a correr

Quem sentiu que Maio passou a grande velocidade? Passou a correr! Para mim foram dias preenchidos e recheados de momentos com emoções fortes, andei genuinamente a correr de um lado para o outro. Hoje, chegou a altura de partilhar com vocês alguns desses momentos com as imagens que vou partilhando na minha conta no Instagram (@miguel_alexandre7). Confesso que agrada-me ter horas cheias de intensidade e com muita coisa para fazer. Já vos dei a entender por diversas vezes que sou alguém que gosta de se desafiar bastante e de me propor a vários objectivos. Confesso, sou um eterno insatisfeito que procura sempre fazer mais e melhor. Maio foi um mês bastante especial para a minha caminhada pelo mundo literário, pois fiz um novo evento onde dei a conhecer um pouco mais d' A Analogia da Morte. Entretanto também regressei aos treinos mais intensivos já em vista à preparação de uma nova meia-maratona. Agora basta esperar que este Junho seja ainda mais especial!

flash.jpgpalhaco.jpg

1 - O início do mês marcou uma autêntica maratona de Flash, uma série muito boa. 

2 - Fiquei completamente vidrado neste graffiti. Está extraordinário! 

bitoque.jpgcorrida.jpg

3 - Um jantar delicioso com a companhia perfeita. Adoro! 

4 - De regresso aos treinos intensivos, melhor forma de começar o dia!  

SLB.jpgaeroporto.jpg

5 - O Benfica sagrou-se campeão e eu não resisti a partilhar a minha alegria...

6 - Há aquelas alturas em que dá uma vontade imensa de viajar para o desconhecido...

casa.jpgseixal.jpg

7 - Há lugares em que se sente o tempo bem presente, esta casa prendeu-me a atenção.

8 - A CM do Seixal fez referência a minha obra no seu jornal. Impossível não ficar orgulhoso! 

 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

Questões inevitáveis (30) – Graffiti

Ao sairmos a rua, é difícil encontrar uma lugar impune de grafftis . Alguns chamam-lhe arte, outros vandalismo. De facto, a arte urbana está cada vez mais forte e multiplica-se por todo o lado, independente dessa actividade ser proibida por lei. A verdade é que este um debate controverso e que dificilmente conseguimos ficar alheados.
Considera-se grafite uma inscrição caligrafada ou um desenho pintado ou gravado sobre um suporte que não é normalmente previsto para esta finalidade, normalmente um espaço público. Podem ficar surpreendidos , mas os primeiros graffitis surgiram na antiguidade (Egipto, Grécia e Roma), altura em que já havia inscrições feitas em paredes. O crescimento mediático surgiu nos anos 60 como suporte para inscrições de carácter poético e político. Deu-se também uma proliferação de estilos estando também associados a diferentes movimentos e tribos urbanas, como o hip-hop, e a variados graus de transgressão.
Dentro dos seguidores desta cultura, Jean-Michel Basquiat tornou-se um dos mais famosos, ganhando a fama de neo-expressionista com os seus trabalhos nas paredes dos prédios abandonados de Manhattan. O norte-americano acabou por tornar-se um dos mais significativos artistas do final do século XX, apesar de ter morrido apenas com 27 anos. Aliás, a imagem de hoje é um dos trabalhos deste nova-iorquino.

Afinal o graffiti é uma forma de arte ou puro vandalismo? Qual acham ser a razão para o seu crescimento?

O 'Um Mar de Recordações' chegou ao bonito número de 300 seguidores no Sapo Blogs. O meu obrigado a todas as pessoas que tem apoiado este projecto ao longo dos anos. Tem sido uma viagem fantástica! Entretanto, continua a ajudar a fazer o blogue crescer em: