Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

Top 5 - Lugares obrigatórios a visitar em Londres

Desde que anunciei no 'Um Mar de Recordações' que estava a viver em Londres, este é provavelmente um dos temas que mais me pediram para fazer. Num momento de férias, este parece-me ser o melhor momento para destacar alguns dos lugares mais emblemáticos da capital britânica. Descansem, pois futuramente vou destacar mais alguns lugares! Optei por realçar uma variedade de lugares para que possa chegar a mais pessoas. Mas chega de conversa introdutória, vamos então a este top cinco:

Parques: Regent's Park - Com 166 hectares, este é um parque com várias actividades turísticas incluindo o zoológico de Londres, passeio de barco, actividades desportivas e também teatro ao ar livre. Um espaço no centro da cidade onde a natureza é o padrão dominante. Este é o segundo parque mais conhecido de Londres e na minha opinião é o mais bonito!

Atracção turistica: Big Ben - O icónico relógio na torre do Palácio de Westminster é uma das principais atracções turísticas de Londres! Construído em 1859, com um estilo neogótico extremamente vincado, o Big Ben tem 96 metros de altura e destaca-se no céu de Londres tornando a sede do Parlamento Britânico um lugar inconfundível.  

Mercados: Camden Lock Market - É um mercado de rua tradicional, famoso pelo seu artesanato local. Com um estilo rústico e ecléctico, este é o espaço perfeito para encontrar roupas, acessórios, livros, cds e discos, objectos de decoração e peças vintage. Um local onde se funde a gastronomia e cultura de todo o mundo, numa arquitectura única e deslumbrante!

Moda: Oxford Street - Uma das ruas mais conhecidas da capital britânica que reúne mais de 300 lojas. Todos os grandes nomes estão lá e consegue-se encontrar (quase) tudo por lá. Todos os dias, milhares de pessoas,  entre turistas e Londrinos, passam por esta zona, sempre em busca de novidades e dos melhores negócios. Imperdível!  

Museus: British Museum - Um dos mais famosos museus do mundo, o British Museum apresenta trabalhos e a evolução histórica do homem, desde os tempos da Pré-História até os dias de hoje. Criado em 1753, foi o primeiro grande museu público, gratuito, secular e nacional em todo o mundo. Com mais de 90 galerias, possuí uma colecção de mais de 8 milhões de peças.

 

Gostam deste tipo de post? Qual é o local que mais gostavam de visitar?

 
 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

À procura do seu paraíso

Naquele dia tinha-se desafiado a escalar uma montanha que tinha fama na região de ter uma vista magnífica. Era aventureiro, não conseguia dizer não a uma ideia que punha na cabeça. Era um jovem atlético com um corpo preparado para qualquer esforço físico. Não teve grandes problemas até chegar ao cume da montanha, mesmo que tivesse acabado completamente exausto e ofegante. Deitou-se em cima da relva e descansou por longos minutos. O dia estava ventoso, mas agradável. Perfeito para aquele tipo de desafios e maravilhoso para descansar um pouco. Não restou muito tempo até adormecer.

Só acordou vários minutos depois, espreguiçou-se demoradamente. Aquele era mesmo um local magnífico, mas quando olhou pela primeira vez para o horizonte não conseguiu suster um longo suspiro de frustração. Tinha escalado cerca de duas horas esperando encontrar uma visão de cortar a respiração, mas o melhor que tinha feito é ter aproveitado aquele local para uma sesta. Não conseguia deixar de se sentir desapontado consigo próprio.

Aquela paisagem, por vezes, era comparada a uma visão do paraíso, mas não era aquilo que precisava naquele momento. Aquele não era o seu local não passava de um sítio desconhecido e belo, aquela visão apenas simbolizava isso. Apenas via uma vista extremamente bonita, mas que pecava por faltar a companhia certa para tornar esse local num verdadeiro paraíso. Na sua percepção, se alguém diz que existe um paraíso, não o afirma por ser belo, mas por ser especial. Basta a companhia certa, algumas palavras, um sentimento, para tornarem qualquer banalidade num paraíso. Por enquanto, teria que continuar a procurar esse momento…

425738-paisagem.jpg

 
 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

O primeiro mergulho do ano

O sol brilhava em todo o seu esplendor, o tempo estava simplesmente extraordinário. Olhou em volta. Á sua frente tinha uma praia completamente deserta. A Primavera tinha-o brindando com um dia fabuloso. Largou um rasgado sorriso. Não conseguia esconder a felicidade, aquela are a imagem perfeita. Não podia ter tido um melhor dia de folga do escritório. De alguma forma sentia que estava no seu pequeno paraíso, o seu refúgio que procurava quando queria afastar-se do mundo repleto de stress em que vivia. Sentiu uma pequena brisa, fechou os olhos e aproveitou aquela situação furtuita. Queria que aquele momento permanece-se eternizado na sua mente. Lembrar-se daquela serenidade. Abriu os olhos. Largou os chinelos e roupa junto ao carro e começou a correr pelo areal. Nem a água fria o parou. Deu um longo mergulho, o primeiro do ano. Submergiu à superfície, satisfeito pelo seu plano ter corrido como desejava.

 

 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

Imagem espontânea (25) – Zoo de Lisboa

Depois de ter falado do Oceanário, parece-me justo falar de outro local na capital onde os animais têm um papel fundamental. Falo, naturalmente, do Zoo de Lisboa. Inaugurado em 1884, o Jardim Zoológico de Lisboa foi o primeiro parque com fauna e flora da Península Ibérica. As suas primeiras instalações foram no Parque de São Sebastião da Pedreira, vindo a serem transferidas em 1894 para os terrenos onde hoje se situa a Fundação Calouste Gulbenkian. Só mais tarde, em 1905, o Jardim Zoológico foi transferido para a sua actual localização -  Quinta das Laranjeiras, em Sete Rios.

A missão deste local passa por desenvolver e promover um parque, tanto zoológico como botânico, como um centro de conservação, reprodução e reintrodução no habitat natural de espécies em vias de extinção, através da investigação científica e de programas de enriquecimento ambiental. Desde Março de 1913, o Jardim Zoológico foi declarado Instituição de Utilidade Pública. Anos mais tarde, em 1952, a Câmara Municipal de Lisboa galardoou este espaço com a Medalha de Ouro da Cidade. As inúmeras remessas de animais contribuíram para que, ao longo dos anos, o Zoo tivesse uma das colecções de animais mais vastas e diversificadas do mundo. Actualmente, é possível encontrar cerca de 2000 animais de 330 espécies: mamíferos, aves, répteis e anfíbios.

Já há algum tempo que não ia ao Zoo e aproveitei estes dias mais frios para ir passear por lá com a Primrose Eleanora Dare. É um espaço que nunca desilude e que permite sempre momentos divertidos, é impossível não ficar envolvido com aquele lugar. A foto que vos trago é de um tigre que estava a aproveitar a tarde para descansar. Confesso que é um dos animais que mais me impressiona, não só pela sua elegância, mas também pela velocidade com que age. De facto, é um animal impressionante de ter por perto. Em suma, esta fotografia é uma pequena memória de mais um dia memorável.

O que mais gostam de ver no Zoo? Qual é o vosso animal preferido?

À procura do seu paraíso

Naquele dia tinha-se desafiado a escalar uma montanha que tinha fama na região de ter uma vista magnífica. Era aventureiro, não conseguia dizer não a uma ideia que punha na cabeça. Era um jovem atlético com um corpo preparado para qualquer esforço físico. Não teve grandes problemas até chegar ao cume da montanha, mesmo que tivesse acabado completamente exausto e ofegante. Deitou-se em cima da relva e descansou por longos minutos. O dia estava ventoso, mas agradável. Perfeito para aquele tipo de desafios e maravilhoso para descansar um pouco. Não restou muito tempo até adormecer.

Só acordou vários minutos depois, espreguiçou-se demoradamente. Aquele era mesmo um local magnífico, mas quando olhou pela primeira vez para o horizonte não conseguiu suster um longo suspiro de frustração. Tinha escalado cerca de duas horas esperando encontrar uma visão de cortar a respiração, mas o melhor que tinha feito é ter aproveitado aquele local para uma sesta. Não conseguia deixar de se sentir desapontado consigo próprio.

Aquela paisagem, por vezes, era comparada a uma visão do paraíso, mas não era aquilo que precisava naquele momento. Aquele não era o seu local não passava de um sítio desconhecido e belo, aquela visão apenas simbolizava isso. Apenas via uma vista extremamente bonita, mas que pecava por faltar a companhia certa para tornar esse local num verdadeiro paraíso. Na sua percepção, se alguém diz que existe um paraíso, não o afirma por ser belo, mas por ser especial. Basta a companhia certa, algumas palavras, um sentimento, para tornarem qualquer banalidade num paraíso. Por enquanto, teria que continuar a procurar esse momento…

[Ficção]