Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Num passado de indefinições, um presente intermitente em que um futuro ambicioso se avizinha

Um Mar de Recordações

Um perfume especial

O cheiro das flores era contagiante, sempre que passava por aquela rua ficava hipnotizada com o cheiro tão característico. Era algo tão diferente pois vivia rodeada por aquele cidade tão cinzenta e sisuda. De facto, aquela florista trazia cor a todo aquele espaço, dava-lhe vida. Para aquela mulher, era o melhor momento de um dia repleto de uma rotina exasperante. Parou um pouco e fechou os olhos, pois queria aproveitar aqueles curtos segundos. Atrás de si, ouviu alguém a resmungar numa voz áspera por aquela paragem tão espontânea e brusca. A hora de ponta era sempre problemática naquela rua emblemática de uma cidade demasiado movimentada. Apenas desejava uma pausa daquele sufoco constante. Aquele seria um fugaz momento para ganhar coragem para mais um longo dia de trabalho. Respirou fundo. O perfume percorreu as suas narinas. Aquela mulher na casa dos 40 anos largou um enorme sorriso, satisfeita por aquele momento libertador. Abriu repentinamente os olhos e regressou ao seu caminho com a esperança renovada. Tinha fé que aquele dia ia correr bem...

 
 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

A jogada que mudou uma vida...

Naquelas duas semanas a capital francesa respirava e vivia ténis. Realizava-se Roland Garros, o grande torneio de terra batida. Uma das competições que criava autênticas lendas no desporto. Hoje, naquele dia quente, jogava-se a final de singulares masculina. Um jovem jogador saltava nervosamente tentando afastar a pressão, enquanto olhava para o outro lado do campo. Diante de si tinha aquele que era considerado como o deus da terra batida, um desportista espanhol que parecia quase invencível naquele terreno. O jogo encontrava-se no quinto set, no tie break final com vantagem para o rapaz de apenas 18 anos. Estava muito próximo de cometer um dos maiores feitos do desporto actual caso conseguisse mais um ponto. Agarrou a raquete com mais força sentido a responsabilidade da próxima jogada. Desejava aquele winner de direita que o catapulta-se para o sucesso. Era a grande chance de marcar uma geração, apenas precisava de bater uma resposta forte e imponente, sabia que tinha que acabar com o jogo o mais rápido possível. 

Um silêncio imperava naquele estádio esgotado, sentia-se a ansiedade naquele jogada que podia ser decisiva, o público olhava impacientemente esperando a decisão daquele emblemático duelo de gerações. O seu adversário levantou a bola e disparou um serviço muito forte, mas que saiu um pouco ao lado do campo. "Segundo serviço!", rugiu o árbitro da partida, numa voz grave e intensa. O jovem sueco passou a mão por uma testa suada, exausto pelas quatro horas daquele duelo intenso. A inesperada estrela avançou para o outro lado do campo, aquela era a sua chance de vencer algo grandioso e, logo, diante de um autêntico herói local. Ia aproveitar o desespero e a pressão do seu experiente adversário. Preparou-se para o ponto de uma vida, para a jogada que ia mudar a sua vida para sempre...

No segundo serviço, a bola viajou para o seu campo com imenso spin, contudo o sueco conseguiu acertar nela com uma força arrasadora. Ainda assim, o combativo espanhol chegou à bola com dificuldade. O pequeno esférico acabou a pingar muito próximo da rede. O talentoso adolescente correu com a pouca força que ainda possuía, deu tudo o que tinha naquela corrida decisiva. Atacar aquela bola era sinónimo de glória eterna. A bola estava em queda livre, mas não desistiu. Arriscou e deu um salto num enorme esforço para evitar que a bola batesse no solo. Conseguiu tocar-lhe levemente, não evitando uma colisão forte no chão. Naqueles pequenos segundos não sabia qual tinha sido o destino do jogo. O coração acelerou freneticamente. Antes de virar a cara à procura da bola, um estrondoso ruído ouviu-se pelo recinto. Olhou para o campo adversário e lá estava a pequena bola amarela. Tinha conseguido, conquistou o encontro e o torneio. Largou um enorme sorriso, afinal não era todos os dias que se alcançava um sonho de uma vida...

 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

O primeiro mergulho do ano

O sol brilhava em todo o seu esplendor, o tempo estava simplesmente extraordinário. Olhou em volta. Á sua frente tinha uma praia completamente deserta. A Primavera tinha-o brindando com um dia fabuloso. Largou um rasgado sorriso. Não conseguia esconder a felicidade, aquela are a imagem perfeita. Não podia ter tido um melhor dia de folga do escritório. De alguma forma sentia que estava no seu pequeno paraíso, o seu refúgio que procurava quando queria afastar-se do mundo repleto de stress em que vivia. Sentiu uma pequena brisa, fechou os olhos e aproveitou aquela situação furtuita. Queria que aquele momento permanece-se eternizado na sua mente. Lembrar-se daquela serenidade. Abriu os olhos. Largou os chinelos e roupa junto ao carro e começou a correr pelo areal. Nem a água fria o parou. Deu um longo mergulho, o primeiro do ano. Submergiu à superfície, satisfeito pelo seu plano ter corrido como desejava.

 

 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

Acordar com um sorriso na cara

É meia-noite. Deito-me na cama exausto por um dia trabalho de uma intensidade exasperante. Estou de rastos, apenas quero descansar. Fecho os olhos e rapidamente adormeço. Contudo e contra as minhas expectativas, a noite esteve longe de ser calma. Passo a maior parte do tempo a mexer-me, atormentado com os problemas diários. Na verdade, esta noite acabou por ser tão dura como o dia…

Estava em vésperas de um grande negócio na empresa, algo que seria fundamental para o bem-estar e futuro de todos. Tinha ficado com a grande responsabilidade de fechar o negócio com as melhores condições possíveis. No dia seguinte teria uma reunião essencial para a concretização desse objectivo. Sentia uma pressão imensa, uma tortura silenciosa que estava longe de dar o descanso que necessitava.

Trim-trim. Acordei sobressaltado com o barulho estridente do despertador. Desliguei-o o mais rápido que consegui, amaldiçoando a falta de descaso dos últimos dias. Suspirei, mais um dia. Senti um movimento do outro lado da cama, a minha mulher tentava aproveitar os últimos momentos de serenidade. A cara tranquila dela fez-me esboçar um sorriso. Não havia melhor razão do que aquela para lutar por uma vida melhor. Saí e fui preparar-me com um humor revigorado. Aquele ia ser um dia fantástico, tinha a certeza disso…

 

 

A minha página de autor está quase a chegar aos dois mil gostos graças à vossa ajuda incrível em apoiar este meu sonho, o que vos peço é mais um esforço para chegar a este patamar. Posso contar com a vossa ajuda? É algo muito simples e ajuda imenso na divulgação! Segue-me também no:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

Não me abandones...

Não me abandones.

Por favor.

Peço-te, não imploro-te.

Por favor.

Não me abandones.

Por favor.

 

Sinto-me completamente a desvanecer, porque é que nada corre como o previsto? Talvez porque a altura e o espaço não tenham sido os melhores para o fazer… Este terá mesmo sido o erro capital. E agora? Agora é tarde de mais para voltar atrás! Fui demasiado intempestivo e não pensei naquilo que estava a fazer, agora sei que te perco a cada dia que passa. Tudo foge e a realidade tende em distorcer-se…

No entanto, vou ficar preso ao teu amor. Preso, ao que tu representas, aquilo que tu és. Oh! Estou tão preso! Bem preso e não me consigo soltar. Estou nesta teia viciante de amor, mas que agora não passa de uma teia de dor… Sinto que estou sem destino, sem caminho e sem outra motivação para além de estar preso. É inevitável e permanente este pensar em ti, pois fazes-me envolver neste mundo. Então se me prendes volta a fazer-me sorrir, faz-me voltar a viver!

Sei que palavras que não deviam ter sido proferidas, já o foram, estando o seu perdão longe de ser pacífico. Mas não quero acreditar que toda a energia perdida por ti não tenha valido de nada. Durante todo este tempo, refugiei-me em mim não fui coerente, apenas me preocupei em esconder-me do mundo. Contudo, finalmente abri os olhos, mas agora será que é tarde de mais? Será que a guerra do nosso amor está perdida ou apenas foi uma batalha que se desenrolou…

Por favor, não me abandones, pelo menos não de forma permanente! Fica comigo! Sei que tudo virou por completo, o motivo de riso agora é de lágrimas, o que foram brincadeiras, agora é sofrimento! Não esperava que isso acontecesse, e acabei por ficar apanhado nesta minha própria teia. Desprevenido e sem hipótese de fuga, num labirinto onde não existe saída à vista! Agora o que mais sinto é medo! Sim, tenho medo de que tudo acabe por se transformar num abismo doloroso. Medo de que tudo acabe em tormenta, que tudo se altere à minha volta. Medo da próxima vez que te voltar a ver…

  

 [Ficção]



Ela nunca me encontrou

Tão doce e bonita que ela é! Voltei a vê-la e não lhe disse nada… Volto a passar por ela mais uma vez, mas não sou visto. Ela mal me vê! Será que alguma vez nos encontramos realmente? Talvez não passe de mais uma pessoa por qual ela passa, apenas um ser indiferente, aquele que por acaso percorre o mesmo espaço…

No entanto, para mim aquele momento é tudo, o meu oxigénio. Quando ela passa por mim flameja algo cá dentro, não a conheço, nunca lhe falei, mas nasceu um sentimento estranho que não sei teorizar. Enquanto passo por ela vejo nos seus lábios finos nascer um sorriso, será que é para mim?

Nesse instante tudo parece fazer sentido, como se o mundo estivesse na palma da minha mão. Parece que conheço-a desde sempre… Ai! E hoje ela está tão bonita! Mais do que nos restantes dias… Parece ter uma aura especial, a cor branca da pele, dá-lhe um tom quase que angelical. Torna-se impossível de resistir!

Tento ter força mas não consigo resistir! Perco a cabeça, viro-me e vou ao seu encontro. Estarei mesmo a fazer isto? Sou capaz? Chego perto de ti. É o tudo ou nada. “Bom dia”, disse, com um sorriso nervoso.   

De repente, sinto o sol a bater-me na cara e acordo do sonho e vejo a rapariga com que sonhei a meu lado e com um largo sorriso. “Bom dia meu amor”, referiu, beijando-me. “Bom dia, voltei a sonhar com o dia em que nos conhecemos”, respondi.  

 

Amor, esta é por ti…

Louco e inequívoco é o sentimento que nutro por ti, o doce sabor do que é o verdadeiro e incessante amor. A sensação sistemática de não querer perder um momento que seja contigo, pois todos eles são indispensáveis, essenciais e importantes. A cada beijo, a cada carinho, a cada toque, faz surgir arrepios de contentamento, num sorriso apaixonado e verdadeiro que insiste em perdurar enquanto estou contigo. Todos esses momentos de volúpia e paixão levaram ao nascimento de um sentimento que abriu um novo nível de confiança e comunicação, criando uma ligação mútua de amor. Isso provoca um constante toque entre duas almas, que justificam todos os sacrifícios e loucuras. Cada segundo contigo, vale a pena… É bom sentir tudo isto, é bom poder renascer a teu lado, num instante de purificação interior. Imploro-te, peço-te, que fiques sempre nos meus braços, agarra-te ao meu corpo e nunca me largues, como se fosse a única forma de sobrevivência. Amor, esta é por ti, por tudo, pela importância, pela companhia e, principalmente, por esse sentimento que é e será sempre recíproco.