Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

Páginas Folheadas (9) – Aposta nacional

Quando vos disse que neste mês o Um Mar de Recordações ia ter bastante enfoque na literatura não estava a brincar. Hoje temos mais uma rubrica das Páginas Folheadas onde deixo algumas recomendações de livros que merecem ser lidos! Espero que estejam a gostar deste Abril de muita literatura, em caso afirmativo digam na caixa de comentários se querem que continue a produzir este tipo de posts. A nova edição desta rubrica aborda a temática dos autores nacionais. Na minha perspectiva, é importante cada vez mais preservar e elogiar aquilo que é produzido pelos escritores portugueses. A cultura é um dos pilares da sociedade e mara a história de um país. Apostar na cultura é sempre algo seguro! Assim, é essencial apoiar a arte que é produzida em Portugal seja ela na literatura, na música ou no audiovisual. Vamos então às minhas sugestões:

Os Maias – Publicado em 1888 por Eça de Queiroz, os Maias é uma obra que descreve a história de uma família ao longo de três gerações, dando especial destaque ao amor incestuoso entre Carlos da Maia e Maria Eduarda. Repleta de discrições, é um fiel retrato da sociedade portuguesa na segunda metade do século XIX. O importante é não ficar intimidado com as primeiras páginas!

Mensagem – A única obra de Fernando Pessoa em vida foi publicada no ano de 1934 (um ano antes da sua morte). Composto por 44 poemas, este livro retrata do glorioso passado de Portugal e a decadência existente na época em que o livro foi escrito. Uma leitura que leva a uma enorme reflexão do leitor. Destaco principalmente os versos de Mar Português.

O Cavaleiro da DinamarcaSophia de Mello Breyner editou O Cavaleiro da Dinamarca em 1964, o conto infantil que conta a viagem de um cavaleiro que pare em peregrinação à Terra Santa, para orar na gruta onde Jesus de Nazaré tinha nascido. Perfeita para quem procura dar incutir o gosto pela leitura a uma criança!

 

Qual é o vosso livro favorito de autor português? Acham que está a ser feito o suficiente para promover a nossa cultura?

 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

"Os Grandes Portugueses" (19) - Sophia Mello Breyner

Nome: SOPHIA de MELLO BREYNER Andresen
Data e Local de Nascimento: Porto, 6 de Novembro de 1919
Data e Local da sua morte: Lisboa, 2 de Julho de 2004
Profissão que se notabilizou: Escritora

 

Feitos importantes:

  • Frequentou o curso de Filologia Clássica na Universidade de Lisboa entre 1936 e 1939, mas não chegou a conclui-lo.
  • Publicou os primeiros versos em 1940, nos Cadernos de Poesia. Autora de mais de vinte livros de poesia, publicados entre 1944 e 2001, escreve também contos, histórias para crianças, artigos, ensaios e teatro. 
  • É considerada uma das poetisas e escritoras de livros para crianças mais importantes da Literatura Portuguesa. Os seus livros relatam as vivências da autora durante a infância. Por exemplo, para escrever A Floresta a autora inspirou-se na quinta da avó onde costumava passar férias enquanto criança.
  • Participou activamente na oposição ao Estado Novo e é eleita, depois do 25 de Abril , deputada em 1975 à Assembleia Constituinte pelo círculo do Porto numa lista do Partido Socialista.
  • Em 1999, foi distinguida com o Prémio Camões, tornando-se assim a primeira mulher portuguesa a receber o mais importante galardão literário da língua portuguesa. Recebeu ainda o Prémio Poesia Max Jacob 2001 e o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana (a primeira vez que um português venceu este prestigiado galardão . Fruto do reconhecimento ao seu trabalho foi convidada a tornar-se membro da Academia das Ciências de Lisboa.


Obra publicada:
Poesia - Poesia (1945); O Dia do Mar (1947); Coral (1950); No Tempo Dividido (1954); Mar Novo (1958); Livro Sexto (1962); O Cristo Cigano (1961); Geografia (1967); Grades (1970); 11 poemas (1971); Dual (1972); Antologia (1975); O Nome das Coisas (1977); Navegações (1983); Ilhas (1989); Musa (1994); Signo (1994); O Búzio de Cós (1997); Primeiro Livro de Poesia (1999); Orpheu e Eurydice (2001).

 

Contos - A Menina do Mar (1958); A Fada Oriana (1958); Noite de Natal (1959); Contos Exemplares (1962); O Cavaleiro da Dinamarca (1964); O Rapaz de Bronze (1965); A Floresta (1968); O Tesouro (1970); Histórias da Terra e do Mar (1984); A Árvore (1985).

 

Teatro - O Não chores minha Querida (1993); Filho de Alma e Sangue (1998); O Bojador (2000); O Azeiteiro (2000); O Colar (2001).