Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

Questões inevitáveis (40) – Refugiados sírios

É um dos temas do momento! O que fazer aos milhares de refugiados sírios que tem viajado pelo continente europeu? O conflito sírio já provocou mais de dois milhões de refugiados sírios, informou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). As imagens arrasadoras nas fronteiras são cada vez mais frequentes e agravam-se com o passar dos dias.

Portugal pode receber cerca de 3000 refugiados, o dobro do número previsto até agora, avançou o PÚBLICO. O Governo não avança ainda com nenhuma data para a chegada dos primeiros grupos. O ministro adjunto e do Desenvolvimento, Miguel Poiares Maduro, anunciou, no início deste mês no Conselho de Ministros, que “Portugal tem, seguramente, disponibilidade para acolher um número maior de refugiados, esperando que essa mesma solidariedade e disponibilidade também exista por parte dos outros Estados europeus”.

Contudo, Miguel Poiares Maduro alerta que “há dimensões da própria resposta portuguesa que estão dependentes de decisões que têm de ser adoptadas a nível comum na Europa, nomeadamente o número de refugiados que Portugal irá, em última instância, acolher”. O grupo de coordenação a nível nacional será constituído por representantes da Direcção-Geral dos Assuntos Europeus, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, do Instituto de Emprego e Formação Profissional, da Direcção-Geral de Saúde e da Direcção-Geral da Educação e do Alto Comissariado para as Migrações.

De que forma a Europa deve lidar com este problema? Concordas com a integração dos sírios em Portugal? Quais são as medidas que devem ser feitas para que tudo corra bem?

 
 

Segue-me em:

Sapo || Facebook || Twitter || Instagram || Youtube || Bloglovin' ||

Questões inevitáveis (29) – Europeias 2014

O Partido Socialista, liderado por Francisco Assis, venceu as Europeias 2014. A vitória era esperada, mas a vantagem revelou-se curta dadas as perspectivas iniciais. O PS elegeu oito deputados para o Parlamento Europeu com 31,46% da votação. Especial destaque para o valor histórico da abstenção com 66,10%, o maior de sempre! Uma situação preocupante que deve valer muita reflexão para todos os partidos políticos. Sem dúvida, um problema que deve ser combatido!

Numa campanha onde se falou muito pouco da Europa e dos problemas que ela atravessa, o derrotado da noite acabou por ser a Aliança Portugal (coligação entre o PSD e o CDS-PP), liderado por Paulo Rangel e Nuno Melo. A dupla arrecadou sete deputados com 27,71% da votação. Assim sendo, o povo decidiu castigar os partidos do governo pelas diversas restrições que foram feitas nos últimos três anos.

Importa também fazer referência ao desempenho da CDU, de João Ferreira, que aumentou as intenções de votos (12,68%) e elegeu três deputados. Os comunistas reforçaram a sua posição como terceira força política nacional. A surpresa da noite foi o Partido da Terra (MPT), que conquistou dois lugares no Parlamento Europeu (7,14% dos votos). Marinho Pinto destacou-se na noite eleitoral, a sociedade deixou uma forte mensagem da descrença que há na política nacional. Por outro lado, Marisa Matias, a única deputada eleita do BE, teve um fraco desempenho nas urnas (4,56%), um sinal de que os bloquistas precisam de alterar muita coisa para acabar com esta queda livre nas intenções de votos. 

Resultado das votações:

PS  31,46% (8 deputados eleitos)

Aliança Portugal (PSD e CDS-PP)  27,71% (7 deputados eleitos)

CDU 12,68% (3 deputados eleitos)

MPT  7,14% (2 deputado eleitos)

BE 4,56% (1 deputado eleito)

 

Um vitória justa do Partido Socialista? Quais as consequências destes resultados? O voto devia ser obrigatório em Portugal?

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em: