Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Recordações

Num passado de indefinições, um presente intermitente em que um futuro ambicioso se avizinha

Um Mar de Recordações

Um encontro virado para o futuro

Chegou a casa naquele dia estafada, mas ainda assim queria ler um pouco aquela obra de Victor Hugo. Não precisou de muito tempo para encontrar o papel com o contacto do jovem da biblioteca. Deu uma pequena risada, aquela atitude era digna daqueles romances típicos. Mas depois voltou à realidade, por momentos ficou sem saber o que fazer, sempre tinha tido medo de assumir o papel principal na sua vida. Daquela vez ia ser diferente, tinha chegado a altura de apostar no desconhecido. Angariou toda a coragem que tinha e com as mãos a tremer discou o número.

Minutos depois e após uma longa conversa decidiram marcar um encontro para o dia seguinte. Suspirou, não tinha nada a perder. As horas seguintes foram brindadas com um nervosismo intenso. Detestava aquela sensação, mas preferiu ignorar a ser moldada pela falta de coragem. Não se ia deixar levar por aquela descrença. Enfim, o grande momento chegou. Vestiu-se o melhor que o seu guarda-fato permitiu.

Dominou os enormes nervos que sentia assim que que entrou no pequeno restaurante que tinham combinado encontrar-se. Deu um sorriso que mais se assemelhou a uma careta. Tentou não mostrar a tensão que sentia, apesar dela ser bastante evidente. Ainda se estava a questionar como tinha tido coragem de se colocar naquela situação. Mas para sua surpresa, a conversa até começou com naturalidade. Grande parte da noite foi passada a falar na paixão de ambos – os livros. Partilharam experiências e compreenderam que tinham gostos muito semelhantes.

A verdade é que aquele rapaz de 26 anos parecia saído de um dos seus livros. Contudo aquele não era o seu conto de fadas… Soube que ele estava a trabalhar temporariamente naquela livraria, morava no Norte e aquele apenas tinha sido uma forma de ganhar algum dinheiro no espaço do tio. Ficou desiludida com aquela notícia, mas a audácia daquele dia tinha-a feito perceber que tudo era possível. Sorriu ao ir para casa no final daquela noite, entendeu que o seu romance andava por aí e estava cada vez mais próximo…

O resultado foi inquestionável com um clara vantagem de 64% (49 votos em 77 possíveis) no final escolhido. Ainda assim, quis acabar este conto com uma surpresa. Espero que tenham gostado! Agora quero pedir-vos um favor: saí definitivamente do anonimato e criei uma página no Facebook para promoção do meu primeiro livro. Precisava de ajuda de todos para conseguir partilhar esta notícia com o máximo de pessoas possíveis. Posso contar com a vossa ajuda?

 

 

 

           

70 comentários

Comentar post

Pág. 1/7