Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

Uma surpresa inacreditável

Os dias estavam a ser altamente intensos, durante aquele mês de Janeiro a cada final de semana eram eliminados alguns candidatos. Agora, restavam apenas dois elementos, o jovem de 25 anos continuava a disputar arduamente aquele lugar no estágio no escritório de advogados que tanto ambicionava. Estava a poucos minutos de descobrir se tinha sido o escolhido. Estava com um nervosismo enorme, aquele podia ser o seu grande momento.
Sentado perto dele, lá estava aquela atraente mulher que era o último obstáculo para o seu sonho. Ela sorriu para ele. Mesmo não querendo, afeiçoaram-se bastante nas últimas semanas. Com o desenrolar das semanas, tinham partilhado vários momentos. Não conseguia deixar de se sentir altamente atraído por ela. Secretamente, desejava que por um milagre a empresa optasse por escolher os dois… Achava isso altamente improvável mas não custava sonhar. A porta do gabinete abriu-se e os dois foram chamados.
Entraram numa sala ampla apetrechada de luxos , era imponente entrar naquele local. Engoliu em seco, era a primeira vez que estavam ali. Um dos advogados principais esperava-os com uma cara impaciente. “Sabem que não gosto de perder tempo. Rita Parreira dá um passo em frente”, rugiu. Assim que ouviu o nome, baixou a cabeça desiludido. Fechou os olhos para controlar as lágrimas. Só passado algum tempo, arranjou coragem para levantar a cabeça e reparou que a mulher ficou ao lado daquele emblemático advogado. A bela loira deu uma sonora gargalhada.
“Eu não vou entrar no estágio, encontras-te no meu gabinete. Felicito-te por teres chegado tão longe e pelo teu desempenho ao longo desta fase. Carlos Fontes, tu tens todas as competências que desejamos”, revelou, sem demoras. O jovem de 25 anos demorou a processar todas as novidades, mas não conseguiu resistir a sorrir por tudo aquilo se revelar em seu favor. Enquanto isso, o advogado abandonou o gabinete com um esgar sonoro. Ficaram os dois sozinhos naquele espaçoso gabinete, olharam-se como se estivessem a estudar um ao outro.
De certa forma, Carlos sentia que a sua confiança tinha sido quebrada. Não sabia como reagir aquela situação, sentia-se altamente desconfortável pelo envolvimento que tinha tido com uma superior hierárquica. Por seu lado, Rita Parreira parecia estar a adorar aquele momento de grande tensão. Avançou para ele e disse-lhe ao ouvido: “Finalmente posso fazer-te isto”.

Parte 1 || Parte 2 || Parte 3

Quero agradecer às inúmeras sugestões que deram para continuar a história, sinto que cada vez mais esta é uma ideia que está a ganhar muita adesão da vossa parte. Esta acabou por ser a votação mais renhida até agora, o que me levou a tentar equilibrar um pouco as coisas. Portanto aproveitei algumas das vossas ideias, nesta caso as da Ce Rose e da Hibiscus. Espero que tenham gostado do desenrolar da história!

Entretanto, é com muita felicidade que comunico que após 282 posts, o Um Mar de Recordações ultrapassou os 10 mil comentários. Mais um objectivo alcançado que só é possível com o vosso constante carinho. Um grande e sincero obrigado a todos vocês! Já sabes se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a que ele continue a crescer em:

     

67 comentários

Comentar post

Pág. 1/7