Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

12.Nov.11

O príncipe dos courts

A final das nacionais de ténis realizava-se dentro de poucos minutos, o jogo mais importante da curta carreira daquele jovem franzino de apenas 16 anos. O seu currículo impressionante faziam dele um génio precoce naquele desporto. Começava a ser apelidado por todos de ‘príncipe dos courts’ dado ao enorme domínio que infligia aos seus opositores.
Entrou no campo com passadas seguras. Largou um sorriso arrogante quando olhou para o seu adversário. Tinha uma estampa física impressionante, parecia ter o dobro do seu tamanho. Era uma montanha, a última que ele tinha de subir para atingir o sucesso. Começou o seu aquecimento, iniciou o seu transe. O transe da vitória e o transe de um campeão…
Respirou bem fundo, sentiu a força e a determinação a crescer, aquele sentimento que lhe fazia lutar sempre por mais um ponto. Dentro de si, sentia uma confiança imensa. A liberdade, a disciplina e a táctica começam a esvoaçar na sua cabeça com toda a naturalidade, naquela que era a junção ideal para a vitória. Enfim, estava totalmente preparado para aquele encontro. Agarrou na raquete com força, estava com imensas ganas. “Vamos a isto!”, gritou. A partir daquele momento, parecia ser outra pessoa com apenas e só com um único objectivo: vencer.
Naquele quadrado de jogo era um jogador frio, calculista e oportunista. Não perdia uma oportunidade para se colocar em vantagem. Aproximou-se da rede com um sorriso trocista. Os jogos mentais começavam logo durante o sorteio de quem ia começar a servir. Fez um olhar intimidatório ao seu adversário, sabia como colocar pressão e fazer aparecer as fraquezas aos seus oponentes. Depois, só precisava que o seu talento o levasse à glória.
Era o primeiro a servir. Voltou a sorrir provocatoriamente, adorava ter o controlo do jogo desde do seu início. Deu quatro ou cinco pulos e correu até à linha de saque. A crença na vitória era enorme. Agarrou na raquete com ainda mais força e faz o seu primeiro serviço. A partida inicia-se, o desejo de mostrar quem o vencedor está mais forte que nunca. Ele começa a correr determinado em direcção a bola. E… bam !

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em:

     
07.Nov.11

Ao som de... (8) [Robbie Williams - She’s the one]

Eis a oitava rubrica do “Ao som de…”, espaço em que coloco ao longo das várias edições várias músicas que aprecio. É importante realçar que a colocação da música não consiste numa preferência por uma ou outra música, mas sim uma sucessiva disponibilização dos meus artistas e músicas preferidas. Para além disso, esta é uma rubrica que vem no âmbito de uma maior interactividade neste blogue.

 

Nesta edição trago-vos aquele que eu considero ser o melhor “entertainer” da actualidade, numa das baladas mais mediáticas deste artista – She’s the one. Falo de Robbie Williams, famoso cantor britânico nascido em 1974. Robbie iniciou a sua carreira em 1990 no grupo Take That, onde ganhou grande sucesso, tendo conseguido oito singles na lista de mais vendidos do Reino Unido. Contudo, divergências internas fizeram com que o cantor britânico sai-se da banda em 1995, iniciando a sua carreira a solo. A partir daí não mais parou, lançando êxitos, atrás de êxitos, consagrando-se com um dos maiores ídolos pop da actualidade.  Os singles "Angels", “Feel", "Let Me Entertain You", "Rock DJ" e "Bodies", são algumas das músicas mais conhecidas e que por certo ficarão imortalizadas na carreira deste enorme artista.

 

03.Nov.11

Carta para ti, meu amor

Meu amor,

Desde que conquistaste o meu coração, tornou-se impensável para mim imaginar a minha vida sem a tua presença. Quando não estas perto de mim vem-me uma profunda sensação de saudade imensa, um sentimento estranho em mim. Fico em total desorientação. Sem ti, falta-me um pedaço do meu coração, falta-me a segurança que transmites, falta o teu sorriso que me ilumina todos os dias. Confesso, és a única capaz de me deixar nessa loucura!

És um sonho tornado realidade, é a tua presença que me vem a inspiração para projectar o futuro ou mesmo a força para ultrapassar todos os obstáculos que a vida me propõe. No fundo, és a minha vida meu amor. É por ti que eu procuro fazer o melhor cada dia, é por ti que me torno uma pessoa mais carinhosa e gentil, e é por ti que encontro todas as forças para lutar!

Tu és uma pessoa fantástica, apoias-me, elogias-me, estas sempre presente em todos os momentos. Compreendes os meus erros, os meus vícios e as minhas manias. Ninguém é perfeito, mas não tenho dúvidas que tu fazes-me uma pessoa melhor. Trazes-me a calma e paz que sempre ambicionei. Tocas a minha alma com tanta doçura e generosidade. Esquecer-te é impossível e amar-te é inevitável.

Amo-te muito meu amor!

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em:

     

Pág. 2/2