Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

12.Abr.14

Questões inevitáveis (27) – Direitos das mulheres

Nos últimos dias, fiquei completamente chocado ao ler uma notícia que envolvia os direitos das mulheres. No Brasil, um estudo do IPEA (Instituto de Pesquisa Económica Aplicada) revelou que 26% dos brasileiros consideram que as “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”. Inicialmente, o número anunciado até era de 65% mas foi rectificado mais tarde pois o IPEA trocou as percentagens das respostas de duas perguntas.

Os resultados do inquérito Tolerância social à violência contra as mulheres realça ainda que 58,5% dos entrevistados concorda “com a ideia de que se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros [violações]”. Realizado entre Maio e Junho de 2013 em municípios das cinco grandes regiões brasileiras, a pesquisa teve uma amostra de 3810 pessoas de ambos os sexos, em que 66,5% eram mulheres, 28,5% jovens dos 16 aos 29 anos, 52,4% adultos dos 30 aos 59 anos e 19,1% de 60 ou mais anos.

Dilma Rousseff , presidente da República do Brasil, publicou um tweet em que referia os resultados do estudo: “Tolerância zero à violência contra a mulher”, dizia. De facto, os resultados deste inquérito provocaram (naturalmente) uma onda de indignação nas redes sociais a nível mundial. No Twitter surgiu uma campanha realizada pela jornalista Nana Queiroz, onde ela aparecia sem roupa com a frase: “Não mereço ser estrupada [violada]” escrita no corpo. O objectivo passava pelas mulheres fazerem o mesmo, o que aconteceu tornando a incitativa viral . Entretanto, a jornalista denunciou que já foi ameaçada de violação depois de entrar naquela campanha.

Isto surge dias depois de mundo acordar com a notícia de que o Governo iraquiano está a desenvolver um projecto lei que se aplicaria apenas à maioria xiita no país em que autorizava a poligamia, permite aos homens casarem com raparigas a partir de 9 anos e permite ainda a violação dentro do matrimónio. O tema deverá ser discutido no Parlamento depois das eleições de Abril. No Afeganistão, por exemplo, estas leis encontra-se legalizadas desde Março de 2009. Para mim é inconcebível como ainda se permite países fazerem este tipo de leis, na minha perspectiva devia haver sanções graves e uma educação para uma mudança de perspectiva nestes locais… Independente do sexo, todos merecem os mesmos direitos!

Como é que possível em pleno século XXI ainda haver este tipo de resultados em inquéritos ? As instancias mundiais não deviam intervir quando os direitos das mulheres não estão a ser respeitados? 

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em:

     
07.Abr.14

Dia para brilhar

Não cabia de si de contente, no dia anterior tinha recebido o telefonema a confirmar a presença na segunda fase de selecção para o estágio na empresa de advogados que sempre sonhara. O esforço dos últimos anos tinha compensado, finalmente ia poder pôr em prática aquele que era o seu talento. Vestiu-se com a sua melhor roupa, um fato elegante que tinha comprado recentemente. Olhou-se ao espelho e sentiu-se amplamente confiante. A vida estava, finalmente, a correr-lhe bem.

Estava inserido num grupo de dez pessoas pre-selecionadas , apenas um ia conseguir garantir o estágio. Assim sendo, os próximos dias iam ser decisivos para aquele jovem de 25 anos. O desafio não o atormentava, era o tipo de pessoa que adorava ser constantemente desafiado, não escondia a sua competitividade. Entrou no edifício num passo decidido, hoje era o dia para brilhar. Chegara com cinco minutos de antecedência, foi o primeiro a entrar naquela sala de reuniões. Um bom presságio…

Aos poucos juntaram-se os restantes candidatos, a tensão sentia-se. Iam todos estudar-se aos poucos, numa espécie de teste a quem eram as ameaças. Em cima da hora, faltava apenas uma pessoa que surgiu poucos segundos antes do tempo marcado. Uma jovem mulher captou a atenção de todos. De sorriso fácil aliviou o ambiente de guerra fria que se fazia sentir. O jovem ambicioso não conseguiu deixar de ficar encantado com a beleza daquela loira extremamente atraente. As regras do jogo pareciam ter mudado a partir daquele momento…

[Ficção]

Parte 1 || Parte 2 || Parte 3
Como queres que acabe esta história?
  
pollcode.com free polls 

Está na altura de nova votação, vocês já sabem como isto funciona! Vocês escolhem, eu escrevo o que vai acontecer no final da história. Entretanto, se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em:

     
03.Abr.14

Um abraço mágico

Dirige-se para sua casa cabisbaixo, o dia tinha-lhe corrido francamente mal. Voltara a falhar, não queria acreditar naquilo que lhe estava a acontecer. A entrevista de trabalho que tinha feito não tinha corrido como pretendia, sabia que não iria ser chamado. Completava quarenta anos daqui a umas semanas e as oportunidades eram cada vez menos, não lhe era permitido continuar a desperdiçar oportunidades. Já não tinha as ilusões da juventude, sabia que aquelas dificuldades eram problemáticas. Estava destroçado por não conseguir ajudar em casa, passava os dias frustrado numa espiral de derrota sem conseguir dar um passo em frente. Ia caminhando sem erguer a cabeça, estava com pena de si próprio. Mesmo tendo uma carreira de prestigio e ser um trabalhador competente e cumpridor, a crise fez com que vivesse um autêntico pesadelo. A sua confiança nunca mais foi a mesma, simplesmente despareceu. Sentia-se perdido, sem rumo. Entrou em casa completamente derrotado, a sua mulher veio rapidamente ter com ele ansiosa por novidades. Não precisou de dizer absolutamente nada, ela abraçou-o instintivamente. Aquele gesto fez com que tudo ficasse melhor. Ela era a sua rocha, possuía a capacidade de tornar todos os seus dias melhores, de afasta-lo daquele abismo negro. Aquela era a força do verdadeiro amor!

[Ficção]

Se gostas do Um Mar de Recordações, então ajuda a fazê-lo crescer em:

     

Pág. 2/2