Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

23.Abr.15

O primeiro mergulho do ano

Miguel Alexandre Pereira
O sol brilhava em todo o seu esplendor, o tempo estava simplesmente extraordinário. Olhou em volta. Á sua frente tinha uma praia completamente deserta. A Primavera tinha-o brindando com um dia fabuloso. Largou um rasgado sorriso. Não conseguia esconder a felicidade, aquela are a imagem perfeita. Não podia ter tido um melhor dia de folga do escritório. De alguma forma sentia que estava no seu pequeno paraíso, o seu refúgio que procurava quando queria afastar-se do mundo repleto de (...)
11.Ago.12

Alcançar o céu...

Miguel Alexandre Pereira
“Onde é que tinha a cabeça? Devia estar completamente louco para me meter numa destas”, pensei quando olhei lá para baixo. Já devia ter escalado mais de quinze metros e ainda só estava a meio. Fechei os olhos. Tremi e senti uma sensação estranha na barriga. Quem diria que alguma vez pudesse estar numa situação destas, nunca fui de grandes aventuras. Hoje estou a escalar uma montanha com trinta metros. Eu, a mesma pessoa que entrava em pânico com grandes alturas. Irónico, (...)
06.Ago.12

Questões inevitáveis (14)

Miguel Alexandre Pereira
O Verão toma assalto a décima quarta edição de Questões Inevitáveis aqui n’ Um Mar de Recordações. Com as férias escolares e laborais a acentuarem-se nesta altura do ano é natural que a maioria das famílias portuguesas tentem aproveitar ao máximo para descansar. No entanto, os últimos anos têm sido cada vez mais de contenção de custos para os portugueses em geral. Assim, de forma a garantir umas férias descansadas é importante poupar o máximo possível para não ter (...)
27.Jul.12

Dias de Verão

Miguel Alexandre Pereira
O plano já estava traçado – um dia de praia contigo. Apenas eu e tu, um tempo a sós para nós. Já merecíamos estar umas horas sem interrupções ou problemas. A verdade é que sabe tão bem estes dias onde deixamos tudo e onde posso deliciar-me única e exclusivamente com os teus sorrisos. Olhar para ti e continuas a deslumbrar-me todos os dias. Não há melhor que estes dias de Verão. Fomos para o sítio do costume, o nosso lugar. Aquela parte da praia está sempre vazia, como se (...)