Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um Mar de Recordações

Um Mar de Recordações

31.Ago.14

Um encontro virado para o futuro

Miguel Alexandre Pereira
Chegou a casa naquele dia estafada, mas ainda assim queria ler um pouco aquela obra de Victor Hugo. Não precisou de muito tempo para encontrar o papel com o contacto do jovem da biblioteca. Deu uma pequena risada, aquela atitude era digna daqueles romances típicos. Mas depois voltou à realidade, por momentos ficou sem saber o que fazer, sempre tinha tido medo de assumir o papel principal na sua vida. Daquela vez ia ser diferente, tinha chegado a altura de apostar no desconhecido. (...)
19.Ago.14

Em busca de um livro perfeito

Miguel Alexandre Pereira
Percorria demoradamente a livraria, estava em busca do livro perfeito. Andava sempre à procura de uma nova obra que a encantasse. Era um vício que não conseguia parar, encontrava sempre algo novo para ler, no fundo uma nova aventura para imaginar. Esse era o seu escape para uma vida cinzenta e sisuda. Aquela era a sua forma de viver a vida que tantas vezes sonhava. Não era uma jovem triste, apenas era acomodada. Vivia naquela tensão persistente sem ter coragem de dar o próximo passo.
14.Abr.13

Um desafio literário

Miguel Alexandre Pereira
Fazia hoje uma semana desde que a tinha encontrado. Tinha sentido uma ligação instantânea com aquela mulher, como se tivessem sido feitos um para o outro. Pouco sabia daquela perdição que o tinha desafiado a voltar a encontrá-la. Durante a conversa, não lhe deu qualquer informação pessoal. Não sabia o seu nome, a sua idade, nem tão pouco a sua localização. Não teve outra opção senão aceitar aquele jogo. “Procura no coração dos livros, aí saberás onde me encontrar”, (...)
08.Abr.13

Encontro inesperado

Miguel Alexandre Pereira
Acordou ansioso, naquele dia tinha decidido ir comprar aquele livro que tanto queria. Não sabia o porquê de ter aquela ideia na cabeça. Tinha a sensação que o devia fazer, uma espécie de pressentimento. Apesar de nunca ter acreditado no destino, arranjou-se e saiu apressado de casa. Era um domingo solarengo, não tinha planos para aquele dia. Estava ansioso por chegar, sentiu-se atraído por entrar o mais rápido possível naquela livraria como se tivesse numa espécie de feitiço.A (...)